5 perguntas para Andrea Grodberg, VMLY&R

Crédito: Divulgação/ Nicolas Houdayer/ Aditya Joshi/ Unsplash

Claudia Penteado 3 minutos de leitura

A VMLY&R acaba de trazer para o seu time global como chief strategy officer Andrea Grodberg, para liderar a área de planejamento dos cerca de 100 escritórios da agência em 45 países. Ela atuou como CSO na BBDO, trabalhou durante 10 anos na R/GA – cinco deles como head de estratégia – e passou pelas agências Big Spaceship, J.Walter Thompson, Bigchalk.com e Digital Pulp Advertising.

Andrea mora no Brooklyn, em Nova York, com o marido, o filho Desi e o vira-lata Boone.  Ela conversou com a Fast Company Brasil sobre sua paixão pela inovação, discorreu sobre liderança e revelou, entre outras coisas, que o melhor conselho que recebeu na vida foi o de nunca ter medo de contratar pessoas melhores do que ela. 

O que é inovação para você?

O tipo de inovação que me interessa é aquela que traz benefícios para a vida humana neste planeta.  Qualquer coisa que torne as pessoas melhores, mais saudáveis, mais gentis, mais sábias, mais felizes. A meu ver, só existe inovação de fato se causar um impacto positivo. É claro que certos cientistas, tecnólogos e acadêmicos precisam se concentrar na inovação apenas por causa dela. Eles modificam e experimentam. Acredito que é por meio de combinações inesperadas que se fazem descobertas surpreendentes. Mas a minha paixão é pela inovação que é aplicada, e aplicada para o bem.

Qual é a habilidade mais importante para exercer a liderança nos dias de hoje? 

Um líder precisa ser capaz de fazer três coisas:

Primeiro, parar de andar em círculos. Os negócios se tornaram tão complicados que tomar uma decisão pode ser muito difícil. Este é um dos motivos pelos quais muitas reuniões terminam em conversas circulares, sem clareza nas conclusões e sem qualquer alinhamento. Um grande líder precisa ser capaz de entrar em qualquer sala e silenciar o barulho. Deve saber simplificar os problemas que estão sendo discutidos e ajudar as pessoas a se sentirem confiantes e capazes de tomar uma decisão.

só existe inovação de fato se causar um impacto positivo. Minha paixão é pela inovação aplicada para o bem.

Segundo, saber alinhar. Nenhuma empresa ou marca pode crescer ou avançar a menos que os principais tomadores de decisão estejam olhando na mesma direção. É inacreditavelmente mais rápido e possível se mover criativamente quando todos estão alinhados com o que e por que estão fazendo algo.

Terceiro, manter-se positivo. Os líderes definem o tom de uma organização. É empolgante estar perto de pessoas que estão felizes em ir trabalhar; ter um dia recheado de novas ideias e inspiração. Sabemos que nem sempre é fácil permanecer positivo e energizado, mas vale a pena.

Qual é a sua visão a respeito do conceito de sustentabilidade?

Trabalhar para um mundo mais sustentável é um dos meus principais compromissos há muitos  anos. Acredito que a sustentabilidade não pode ser o “propósito” de uma marca ou empresa. Não é apenas um anúncio ou um comercial de televisão. Ela tem que ser essencial para o funcionamento de um negócio como um todo. Estar presente nos produtos e serviços, no tipo de comportamentos que incentiva nas pessoas e em outros negócios.

O que é bem-estar para você?

Como muitos pais, meu bem-estar está intimamente ligado àqueles que amo. Quando meu filho está se sentindo feliz e confiante, me sinto em paz. As coisas que faço para me preparar para quando as coisas não estão bem (o que acontece!) são praticar muita corrida e estar perto d’água o mais frequentemente possível. Fundamentalmente, bem-estar, para mim, é quando sei que fiz o máximo que pude para ser uma pessoa amável e capaz de ajudar aqueles ao meu redor.

Qual o melhor conselho que você já recebeu na vida?

Sempre contrate pessoas melhores que você. Nunca tenha medo do talento.


SOBRE A AUTORA

Claudia Penteado é editora chefe da Fast Company Brasil. saiba mais