5 perguntas para Daniel Waks, da Ambev

Crédito: Fringer Cat/ Unsplash/ Rawpixel

Claudia Penteado 2 minutos de leitura

Vice-presidente de marketing da Ambev, Daniel Wakswaser é um dos líderes da estratégia de reestruturação e transformação cultural do marketing no Brasil, promovendo processos para incentivar a criatividade e a inovação nas marcas. Na Ambev desde 2008, ele atuou em posições de liderança em diferentes áreas e negócios da empresa no Brasil, nos Estados Unidos e na Europa. Nesta entrevista para a Fast Company Brasil ele fala sobre privilégio, altruísmo e porque devemos nos tornar “amadores”.

O que é inovação?

É quando a criatividade encontra a oportunidade. Para inovar, é preciso de ciência, arte e disciplina: (a) usar a ciência para ter um profundo conhecimento humano e clareza do problema; (b) explorar a arte da originalidade para enxergar além do óbvio, trazendo frescor a uma observação – o que chamamos de insight; e (c) ter muita disciplina para testar, aprender, revisar e seguir sempre em beta. Até porque, inovação é mais verbo que substantivo.

O que o conceito de sustentabilidade representa para você?

Sustentabilidade tem a ver com o ato de “sustentar”, ou seja,

Pensar e agir de maneira sustentável é contrariar nosso instinto curto-prazista e pensar nas próximas gerações.

requer equilíbrio. Equilíbrio entre ação e reação, entre tirar e colocar, entre futuro e presente. Pensar e agir de maneira sustentável é contrariar nosso instinto humano curto-prazista e pensar nas consequências para as próximas gerações. No fim, a sustentabilidade é uma série de atos de altruísmo.

O que é qualidade de vida para você?

Trazendo este conceito mais para a esfera da vida profissional, acho que qualidade de vida passa por se tornar um “amador”. Embora a gente acredite que o Brasil não é para amadores, essa palavra vem de amar, ou seja, fazer algo não por obrigação, mas por prazer. Quando o seu ofício e a sua zona de prazer se encontram, acredito que é mais fácil ter mais qualidade de vida.

Qual a habilidade mais importante para exercer a liderança nos dias de hoje?

Humildade, curiosidade e empatia. Os melhores líderes com quem já trabalhei ouviam mais do que falavam, sabiam se colocar no lugar dos outros e tinham um apetite insaciável por aprender. Numa sociedade com questões tão complexas, e que evolui tão rápido, liderar requer, mais do que nunca, de que tenhamos uma mente de principiante.

Qual o melhor conselho que já recebeu na vida?

“Trate os outros não como você gostaria de ser tratado, mas como eles gostariam de ser tratados”. Que os que possam usar seu privilégio para ajudar os outros o façam e, assim, melhoremos nossa sociedade.


SOBRE A AUTORA

Claudia Penteado é editora chefe da Fast Company Brasil. saiba mais