5 perguntas para José Melchert, do Spotify Brasil

Créditos: Alexander Shatov / Unsplash

Claudia Penteado 4 minutos de leitura

José  Melchert tem mais de 20 anos de experiência em marketing, publicidade e vendas e hoje é diretor de vendas do Spotify Brasil. Trabalhou em grandes anunciantes como Carrefour e Banco Real/Santander, e também em agências, como Isobar, Africa e Havas. Antes do Spotify, liderou a vertical de varejo do Google Brasil por sete anos. Nesta conversa com a Fast Company Brasil, ele fala sobre coragem, vulnerabilidade, colaboração, privilégios, sustentabilidade, resultados e um bom conselho recebido e aplicado na vida.  

O que é inovação para você?

Inovação é coragem. Coragem de mudar, de fazer algo diferente, de pensar em algo que ainda não foi feito. Pegar um caminho diferente, sair da zona de conforto. Tudo isso exige coragem e ela vai te levar a inovar uma hora ou outra. Mas acredito também que inovação tem que ter um propósito claro. O foco da inovação tem que ser melhorar algo. Um processo. A vida das pessoas. A cidade.  

Qual é, na sua opinião, a qualidade mais importante de um bom líder?

Vulnerabilidade, com certeza, é uma característica que cada vez se torna mais importante. A era dos líderes intocáveis, donos da razão e sabedores de tudo está chegando ao fim. Hoje, o líder precisa entender o que sabe, compartilhar o que não sabe, pedir ajuda e engajar o time num processo colaborativo de construção de soluções. A vulnerabilidade

A era dos líderes intocáveis, donos da razão e sabedores de tudo está chegando ao fim.

faz com que o líder entenda suas limitações, não tenha medo de compartilhar, de dividir seus fracassos e aprendizados. Com isso, o time certamente também vai sentir mais confiança e conforto em compartilhar seus desafios e contribuir genuinamente. Falar de coisas boas é fácil. Encarar os problemas com profundidade e pensar em como resolver juntos é o grande desafio. Nada inspira mais do que resolver um problema juntos. 

O que é qualidade de vida?

No dia 8 de junho, foi divulgada uma pesquisa da rede Penssan que mostra que mais de 33 milhões de brasileiros passam fome todos os dias. Não dá para pensar em qualidade de vida sem o acesso ao básico: ter comida na mesa, lugar para viver, segurança, acesso à educação e saúde básica. Estamos longe disso no Brasil e no mundo, ainda mais em um período de transição de uma pandemia e com uma guerra em andamento.

Na bolha em que vivemos, com muitos privilégios, a qualidade de vida toma outras nuances. O equilíbrio entre vida e trabalho é o grande desafio. Sou muito grato  por ter acesso a tudo o que preciso para viver bem e conseguir equilibrar isso com coisas importantes para mim, como levar meu filhos à escola, ter tempo para praticar esportes, me desenvolver e estar com minha família. Qualidade de vida para valer acontece quando todos tiverem acesso ao básico para viver e se desenvolver.  

O que o conceito de sustentabilidade representa para você e para o seu negócio?

No início da minha carreira, tive a grande oportunidade de trabalhar no Banco Real ABM Amro. Talvez os mais novos não se lembrem, porque foi comprado pelo Santander e a marca sumiu. Mas ele foi um dos pioneiros, assim como a Natura e outras empresas, em desenvolver e difundir o conceito de sustentabilidade no Brasil. Foi o primeiro a usar papel reciclado nas suas comunicações; criou o Fundo Ethical, composto por empresas social e ambientalmente responsáveis; desenvolveu o programa talentos da maturidade, um monte de coisas legais e à frente do seu tempo.

O líder da empresa na época e principal responsável por todo esse movimento, Fábio Colleti Barbosa, usava uma frase que, para mim, resume bem o que é sustentabilidade: “Dar certo fazendo as coisas certas, do jeito certo”. Era o ganha-ganha: tem que ser bom para a sociedade, para o planeta e para os negócios.

O “como”, na maioria das vezes, é mais importante do que “o quê”.

O conceito evoluiu para o que hoje chamamos de ESG e vem ganhando uma proporção muito legal no ambiente corporativo. No Spotify, a sustentabilidade traz outros aspectos também com a diversidade e a inclusão, o uso sustentável da energia – aspecto fundamental para toda empresa de tecnologia –, o fomento à cultura e a sustentabilidade do ecossistema da indústria da música, da informação e do entretenimento, aqui representada pelo nossa aposta nos podcasts. 

Qual o melhor conselho que já recebeu na vida?

Sem dúvida, o que mais tento usar hoje em dia, tanto no trabalho como em casa, nas relações pessoais é: “o ‘como’, na maioria das vezes, é mais importante do que ‘o quê'”. Recebi esse conselho do Fabio Coelho, vice-presidente do Google e country manager no Brasil, em um momento muito importante da minha carreira.

Estava super focado no resultado, nos objetivos que queria alcançar e, em alguns momentos, atropelava processos e pessoas. A forma como atingimos o resultado é tão importante quanto o resultado em si. Ainda mais em organizações cada vez mais horizontais e matriciais, onde é preciso exercer muito mais uma liderança de influência do que uma liderança hierárquica.


SOBRE A AUTORA

Claudia Penteado é editora chefe da Fast Company Brasil. saiba mais