Em matéria recente, a Fast Company Brasil colocou em perspectiva os elementos que compõem uma Entertainment Intellectual Properties, ou propriedade intelectual de entretenimento. E um dos grandes cases globais bem-sucedidos de EIP é o K-Pop, gênero musical sul-coreano que ganhou escala fruto de investimento e planejamento. No caso sul-coreano, o governo investiu no crescimento da indústria criativa em 1998 com verbas destinadas ao gênero que, atualmente, rende mais de US$ 6 bilhões anuais e fez o país saltar da 30º para a 6ª posição em liderança no mercado mundial da música.

Em 2018, em ocasião da Copa do Mundo, o BTS illustrou as embalagens de Coca-Cola (Crédito: Divulgação)

Esse movimento impulsionou também as exportações da Coreia do Sul, bem como o fortalecimento da produção cultural do país fruto do impacto do K-Pop.

A parceria entre McDonald´s e BTS também inclui outros collabs, entre roupas e acessórios (Crédito: Divulgação)

E no fluxo natural de uma EIP, licenciamentos e collabs entram na trajetória. Neste caso, a banda BTS e o McDonald´s protagonizam, globalmente, o quanto uma EIP, em suas várias definições, pode ser importante para o marketing. Na semana, passada, a rede de fast-food lançou, em mais de 50 países, um combo criado especialmente para a banda. É a primeira vez que o McDonald´s realiza globalmente uma parceria desse tipo. O combo da banda é composto de um McNuggets de 10 unidades, batatas fritas médias, Coca-Cola média e os molhos Sweet Chili e Cajun, originários da Coreia do Sul. A parceria inclui outros itens licenciado como roupas e acessórios.

O combo especial de BTS está sendo replicado por 50 países (Crédito: Divulgação)

João Branco, CMO do McDonald’s Brasil, explica que a parceria global com o BTS nasce, sobretudo, dos esforços de social listening e mapeamento de conversas dos clientes da rede. “São ações que nos permitem seguir construindo uma relação genuína com nosso público. A parceria com o BTS reforça esse movimento. Estamos unindo duas marcas amadas e com grande base de fãs em comum”, explica.

Leia também: EIP: como transformar arte e entretenimento em marca?

COLLAB, VENDAS E JUNÇÃO DE FORÇAS

Essa não é a primeira vez que o McDonald´s altera seu cardápio em função de uma collab. A mais recente é a parceria desenvolvida com o rapper Travis Scott, em outubro, nos Estados Unidos. “Diante dessas experiências, foram percebidos o potencial de ações como essas serem ampliadas para outros mercados. E, com BTS veio essa oportunidade. Para nós, é muito importante fazer parte deste projeto, não só pelo resultado de vendas que a campanha vai gerar, mas principalmente pela conexão que a marca cria com o público mais jovem. O Brasil é o país com a maior base de fãs do grupo no mundo”, pontua João Branco.

O rapper Travis Scott ganhou um menu exclusivo no ano passado (Crédito: Divulgação)

Morgan Flatley, CMO do McDonald´s nos Estados Unidos explica que, após as experiências bem-sucedidas de collabs da rede, muitos mercados quiseram aderir ao projeto com a BTS. “A experiência que tivemos com Travis foi muito maior do que esperávamos e isso nós fez entender que os consumidores querem conectar suas paixões com os alimentos que consomem e aqui entra a música e outros elementos”, afirma.

A Puma é uma, das dezenas de marcas que já desenvolveram projetos com o BTS (Crédito: Divulgação)

Sobre os desafios e pontos de atenção no desenvolvimento de uma collab, João explica que existe sempre uma ampla análise e trabalho em conjunto com os fornecedores. “Neste caso, recebemos o detalhamento das receitas do nosso time global e passamos a buscar um parceiro que conseguisse desenvolver os produtos dentro dos parâmetros enviados, mas também alinhado ao perfil de sabor que agradasse o paladar brasileiro. Todo esse processo foi sendo construído com nosso time global. Mesmo seguindo as receitas e os guides para embalagem que norteiam todos os mercados que participam dessa ação, conseguimos dar nosso toque especial com o uso da nomenclatura Méquizice”, explica João.

SOBRE O AUTOR

Luiz Gustavo Pacete é editor-contribuinte da Fast Company Brasil