POR ELIZABETH SEGRAN

Se olhar ao redor da sua casa, você irá encontrar plástico em todo o lugar, do ar-condicionado até o carregador de celular ou a luminária. Quando você descarta estes produtos, eles provavelmente vão parar em um aterro onde ficam por centenas de anos, degradando-se em partículas minúsculas que terminam na chuva e nos alimentos.

Um trio de designers de Milão quer fazer os produtos que você usa na sua casa a partir de materiais mais sustentáveis. Eles acabaram de lançar uma luminária de US$85 ,chamada de Ohmie, que é feita de cascas de laranja descartadas e que pode ser jogada no lixo reciclável no fim da vida, onde irá se decompor com os restos de alimentos. É um lindo produto que aponta para um futuro onde os designers não dependerão tanto do plástico.

Luminária Ohmie (Crédito: Divulgação)

A luminária Ohmie vem de um estúdio chamado Krill Design, cujo time de designers consiste em Sofia Duarte, Victoria Rodriguez Schon e Yack Di Maio. A Krill foi lançada em 2018 com o objetivo de desenvolver novos materiais a partir de resíduos e criar produtos mais ecologicamente amigáveis. Até hoje, o estúdio já criou produtos para outras empresas, incluindo bandejas, luminárias e bowls feitos de casca de laranja para a San Pellegrino e móveis feitos de  de café para uma competição feita pela prefeitura de Milão.

Mas este ano a Krill quis lançar um produto que pudesse vender diretamente aos consumidores. Eles criaram a Ohmie a partir de um material similar ao usado no projeto da San Pellegrino. “Assim como no nosso primeiro projeto, nós queríamos destacar nossa identidade italiana,” diz Duarte. “A Itália é famosa pelas laranjas. A Sicília é um grande exportador de laranjas.”

Sicily’s Revolution, luminária de mesa (Crédito: Divulgação)

A Krill fez uma parceria com uma empresa familiar na Sicília para coletar as cascas de laranja descartadas. Eles então secaram, moeram e misturaram as cascas com um biopolímero. Este material foi moldado em uma impressora 3D para criar a forma diferenciada da luminária.  A adição do biopolímero faz com que a luminária não se degrade durante o uso normal. “Nós queríamos que a luminária durasse bastante tempo e não desmanchasse quando exposta à água,” diz Duarte. Ainda assim, ela se degrada rápido em unidades industriais de compostagem, que são bastante comuns na Europa. “Você pode colocá-la no lixo para compostagem junto com os restos de alimentos e ela será levada pelo município,” diz Schon. (A luminária vem com uma extensão USB, um dimmer e uma lâmpada LED, que podem ser retirados antes da compostagem.)  

Duarte queria que a luminária tivesse o aspecto, a aparência e até o cheiro de laranjas para que os usuários lembrassem que aquele é um material orgânico. Eles fizeram a impressão 3D com ondulações propositais, como uma casca de laranja. O material contém ainda uma essência de laranja; a luminária tem um certo cheiro de biscoito da fruta. “Diferentemente da aparência brilhante do plástico, nós queríamos que o consumidor lembrasse que isso vem de restos de alimentos,” diz ela. “Nós queríamos transformar restos de alimentos em algo belo.”

Luminária Ohmie (Crédito: Divulgação)

A luminária Ohmie é a primeira de muitos produtos na linha de produção da Krill. A equipe planeja usar este material de casca de laranja para outros objetos e continuar experimentando com outros tipos de resíduo. Mas a Krill também quer mandar um recado para a comunidade do design sobre a importância de novos materiais sustentáveis no lugar do plástico. Muitas das peças icônicas dos últimos 50 anos, como a cadeira fantasma de Philipe Starck  e as unidades modernistas da Kartell eram feitas inteiramente de plástico. Naquela época, este material parecia ser milagroso, capaz de ser moldado em qualquer coisa que um designer pudesse imaginar. Mas com o que sabemos hoje sobre a poluição gerada pelo plástico, Duarte acredita que os designers precisam focar sua energia criativa em novos materiais. “Nós acreditamos que uma nova geração de designers não pode só criar objetos, nós também precisamos criar os materiais”, destaca.

Cadeira fantasma (Crédito: Divulgação)

Você pode adquirir a luminária através da campanha de Kickstarter da Ohmie. 

SOBRE A AUTORA

Elizabeth Segran, Ph.D., é jornalista contratada sênior da Fast Company. Ela mora em Cambridge, Massachusetts