Moda no metaverso: a supermodelo Karlie Kloss quer vestir seu avatar

Apaixonada por tecnologia, Kloss anuncia parceria com a Roblox para lançar coleções totalmente virtuais criadas por cinco designers

Crédito: Roblox/ Klossette Designer Showcase

Elizabeth Segran 4 minutos de leitura

O sucesso da supermodelo Karlie Kloss extrapolou o mundo real e está chegando ao metaverso.

Na semana passada, ela anunciou uma parceria com a plataforma de jogos Roblox para divulgar o trabalho de cinco designers de moda que criam roupas totalmente virtuais. Agora, os usuários podem comprar esses itens para vestir seus avatares. O objetivo, com essa colaboração, é valorizar os designers digitais de moda e estimular a indústria fashion tradicional a começar a levar a moda virtual a sério.

Como uma das top models mais conhecidas do mundo, Kloss passou os últimos 15 anos trabalhando com os principais estilistas do mundo. Mas ela também é apaixonada por tecnologia.

Oito anos atrás, ela completou um curso de programação na Flatiron School em Nova York e, dois anos depois, lançou a Kode with Klossy, uma organização sem fins lucrativos dedicada a ensinar mulheres jovens a escrever em código – e a ajudá-las a ganhar mais espaço no mundo da tecnologia. Por todas essas razões, a parceria com a Roblox pode ser considerada um passo natural nesse caminho.

Crédito: Fashion Klossette Designer Showcase

A plataforma de jogos Roblox foi lançada em 2006, mas sua popularidade explodiu durante a pandemia. Atualmente, conta com 50 milhões de usuários ativos por dia.

“Até começar a jogar, eu não percebia o quanto as pessoas gostam de passar o tempo nesse ambiente online e de conhecer outras pessoas”, diz o designer Samuel Jordan, que está na casa dos 20 anos e atende pelo apelido “Builder Boy” na Roblox. “É onde a minha geração se diverte.”

Crédito: Fashion Klossette Designer Showcase

Milhares de estilistas já estão criando e vendendo roupas virtuais na plataforma. Os usuários podem comprar a moeda “local”, conhecida como Robux, e usá-la para adquirir roupas que custam de alguns centavos a vários dólares. Só no ano passado, 25 milhões de peças virtuais de vestuário foram criadas na plataforma.

Crédito: Fashion Klossette Designer Showcase

Os cinco estilistas escolhidos por Kloss terão sua própria loja pop-up como parte do The Fashion Klossette Designer Showcase (algo como “Lojas do ‘klosset’ de moda com design”, um trocadilho entre o nome de sua criadora e a palavra closet).

Os usuários poderão visitar as lojas, experimentar os looks e comprar roupas e acessórios virtuais. Os estilistas têm uma ampla gama de diferentes estéticas, que vão desde a inspiração praiana de estilo californiano de Builder Boy até looks cyberpunk com a vibe do desenvolvedor e criador de conteúdo @RynityRift.

Segundo Jordan, a autoexpressão é muito importante para quem joga Roblox. “Descobri que as roupas mais populares não são aquelas desenhadas com mais perfeição, mas sim as que transmitem autenticidade”, conta o designer.

Crédito: Fashion Klossette Designer Showcase

Historicamente, as indústrias de moda e de games não se comunicavam tanto. Mas, à medida que os jogos eletrônicos foram ganhando espaço, ficou difícil para os designers de moda ignorar essa onda: mais de 2,5 bilhões de pessoas em todo o mundo jogam videogames.

Nos últimos anos, várias marcas e designers começaram a fazer incursões na moda virtual. Gucci, Louis Vuitton e Burberry, entre outras, agora desenham roupas para avatares. O videogame Drest cria versões digitais de coleções de designers contemporâneos.

“Eu me importo muito com a democratização do acesso à moda que as roupas virtuais tornam possível. Mas, para além disso, há um negócio real que está sendo construído online”, diz Kloss.

Crédito: Fashion Klossette Designer Showcase

Conforme mais empresas passam a criar roupas digitais, alguns especialistas começam a se preocupar com a possibilidade de que a moda virtual perpetue as mesmas desigualdades da off-line, como excluir minorias e pessoas que não podem pagar pela peças. Mas Kloss acredita que a moda virtual ainda está engatinhando e que tem um grande potencial inexplorado.

Karlie Kloss (Crédito: Gabrielle Resnick)

Por um lado, a modelo deseja incentivar mais mulheres a se tornarem designers de jogos, aproveitando seu trabalho com a “Kode com Klossy”. Ela espera capacitar designers comuns na plataforma graças à parceria com a Roblox.

Mas Klossy também acredita que é possível que a moda virtual inclua todos os tipos de corpo. As roupas da Roblox, por exemplo, são construídas em uma plataforma chamada Layered Clothing, projetada para caber em qualquer tipo de avatar.

“As roupas virtuais podem não só se encaixar em qualquer formato de corpo, mas também desafiar a gravidade ou pegar fogo”, diz ela. “As possibilidades são infinitas.”

Kloss diz que teve o privilégio de entrar nos ateliês de alguns dos designers de moda mais incríveis do mundo e que, portanto, sabe que o processo deles começa com a escolha de tecidos e linhas.

“Os designers virtuais projetam através de linhas de código. Mas, se você parar para pensar, é o mesmo conceito: pegar uma ideia e trazê-la à vida para fins de expressão criativa.”


SOBRE A AUTORA

Elizabeth Segran, Ph.D., é colunista na Fast Company. Ela mora em Cambridge, Massachusetts. saiba mais