A Netflix descobriu uma nova forma de manter seus espectadores em xeque.

O serviço de streaming despertou um novo interesse no jogo de xadrez depois do sucesso da minissérie O Gambito da Rainha, estrelada por Anya Taylor-Joy como uma garota prodígio problemática que toma o mundo do xadrez de assalto nos anos 60.

O programa se tornou a minissérie original de ficção mais vista da plataforma em toda a sua história. Nada menos que 62 milhões de contas da Netflix deram play em ao menos um episódio do seriado por no mínimo dois minutos, de acordo com a métrica usada pelo serviço de streaming.

Anya Taylor-Joy, protagonista da série

Como consequência, os downloads do aplicativo de xadrez Chess.com dispararam nos Estados Unidos desde que a série estreou, de acordo com dados do App Annie. Entre os jogos de estratégia do iPhone, o app saltou para o 3º lugar nos Estados Unidos e para a segunda posição no Reino Unido. Entre todos os jogos disponíveis no mercado americano, o app “Chess” subiu 256 posições desde que a série estreou.

Como fenômeno pop, é claro que o xadrez teve idas e vindas nos últimos 1.500 anos. De acordo com alguns relatos, o jogo se tornou popular no final do século XX, pelo menos nos Estados Unidos, passado o auge de Bobby Fischer nos anos 1970. Mas a quarentena fez bem ao jogo. Durante os últimos meses, enquanto as pessoas ficavam isoladas em suas casas ao redor do mundo buscando novas formas de distração, torneios de xadrez online surgiram como um esporte cada vez mais atraente.

O Gambito da Rainha é baseado em um livro e foi escrito como um enredo fechado. Até agora não foram anunciados planos para uma segunda temporada. Isso quer dizer que provavelmente o aumento no interesse pelo xadrez será passageiro, a não ser que os criadores consigam encontrar uma forma de dar continuidade à ideia.

Será? Your move, Netflix.