Como pensar em estratégias de influência inclusivas?


Nohoa Arcanjo 4 minutos de leitura

Quando você personifica seu público-alvo, que cor essa pessoa tem? E que gênero? O que você leva em consideração ao compor um casting de creators para uma campanha de influência?

Em 2021, o Facebook publicou um relatório sobre diversidade, representação e publicidade. O estudo apontou que a maioria (54%) dos consumidores entrevistados disse que não se sente totalmente representada culturalmente na publicidade online. Além disso, a maior parte (71%) espera que as marcas promovam a diversidade e a inclusão em suas campanhas.

Mas o que as marcas querem mesmo é conversão, certo? Pois saiba que ser inclusivo também gera engajamento! Uma pesquisa de consumidores de 2019 do Google e do The Female Quotient revelou que 64% dos entrevistados tomaram alguma atitude depois de ver um anúncio que consideraram inclusivo. Com alguns segmentos de consumidores, esse percentual foi maior: millennials (77%), negros (79%), latinos (85%) e comunidade LGBTQIA+ (85%).

Qual a importância de estar presente em comunidades diversas?

Ouvir comunidades diversas e entender suas necessidades gera uma entrega de valor muito maior. Além de identificar uma série de novas possibilidades de negócio para atender melhor às demandas daquele nicho. Falando com comunidades diversas, sua marca pode:

  • Ter mais alcance, incluindo um público mais diverso, e aumentar seu pool de clientes em potencial.
  • Aproximar-se do público, pois ao conseguir entender e reproduzir a linguagem de uma comunidade é possível se conectar de verdade.
  • Ganhar mais respeito e reconhecimento, pois as pessoas preferem  marcas que oferecem marketing diversificado e inclusivo e que representam genuinamente seu público.

Para avaliar a diversidade de uma comunidade, temos que levar em consideração:

 – Idade

 – Aparência

 – Etnia, raça, nacionalidade

 – Gênero e sexualidade

 – Saúde e deficiências

 – Linguagem

 – Filiação religiosa

 – Status socioeconômico

Entre outros quesitos.

A partir do seu público-alvo, o quanto você consegue tornar seu público abrangente e inclusivo? Com quem você deve falar?

  • A partir do seu público-alvo, veja o quão abrangente deve ser e inclua underserved communities (comunidades sub-atendidas) na sua linha de comunicação.

  • Faça parcerias com vozes estabelecidas dentro das comunidades com pessoas que topem levar a mensagem da marca com você e entendam suas causas.

  • Posicione-se a favor das causas de sua comunidade.

A comunidade negra

“Permita que eu fale, e não as minhas cicatrizes”

A música “AmarElo”, do Emicida, não virou um hino contra o racismo à toa. Dar voz à comunidade negra, permitir que mostre suas particularidades e fale sobre suas necessidades é dever das marcas comprometidas com o consumidor e com a sociedade.

De acordo com o IBGE, 56% da população brasileira é negra, o que equivale a mais de 100 milhões de pessoas. Segundo dados do Instituto Locomotiva, os negros movimentam R$ 1,7 trilhão por ano. Apesar disso, 72% dos consumidores negros não se identificam com as propagandas dos produtos que consomem. 

Tendo em vista esses números e seus infinitos zeros à direita, quantos por cento do seu esforço em propaganda é voltado para essa comunidade?

As empresas Black Influence, Site Mundo Negro, YOUPIX, Squid e Sharp se uniram para rodar a primeira pesquisa do Brasil a fazer um retrato do mercado preto de influência em 2020. Alguns números chamam a atenção:

  • 64% dos creators pretos não consideram o mercado de marketing de influência inclusivo.
  • Pretos recebem em média 12% menos que brancos, mesmo com um nível similar de engajamento.
  • A média do valor máximo recebido por um creator preto é de R$ 1.626,83, enquanto a recebida por um branco é de R$ 4.181,01.

Por que fazer marketing de influência?

As verbas de marketing estão claramente migrando de mídia para conteúdo/ influência. As marcas estão trabalhando com outras possibilidades de cocriação e formas de se aproximar, estabelecer relacionamento de longo prazo com creators e colocá-los na mesa para discutir suas ideias.

Vamos a alguns dados atuais:

  • O mercado global de plataformas de marketing de influência foi avaliado em US$ 16,4 bilhões em 2022. Espera-se que ele continue crescendo cerca de 33,4% ao ano de 2022 a 2030.
  • 40% dos brasileiros afirmam já ter comprado produtos recomendados por creators.

A Creators.llc atua num modelo híbrido que combina algoritmos inteligentes com curadoria humana especializada. A plataforma oferece um formulário de briefing cujas respostas do cliente já fornecem uma estratégia de marketing de influência para seus projetos.

Outra facilidade é contratar grandes grupos de creators de uma só vez sem se preocupar com a parte burocrática de homologação, contratos e pagamentos unitários. Com um gateway de pagamentos cross border a startup já faz transações em euro e dólar por meio da plataforma.

A diversidade também é um grande foco – no próprio formulário de briefing, o cliente encontra opções para deixar seu squad diverso, com tags de perfil de creators como: pessoas pretas, mulheres, PCDs, indígenas, asiáticas, não-binárias, entre outras. Ao final, o cliente pode incluir números de diversidade no relatório de resultados.

Uma campanha de influência feita com a Creators.llc é mais genuína, direcionada por números e focada no engajamento da comunidade, que são autoridades em suas verticais de conteúdo, levando em conta suas paixões e habilidades.


SOBRE A AUTORA

Fundadora e Growth Leader da Creators.LLC - plataforma de matchmaking entre criadores e marcas. Acelerada em 4 programas do Google For... saiba mais