POR REDAÇÃO FAST COMPANY BRASIL

Chama-se “omnicanal”, neologismo que vem do inglês, omnichannel, e é outra das tendências de varejo em destaque na próxima edição da NRF 2022 (NRF Retail Week), a maior feira do mundo de varejo que reunirá em Nova York, a partir do dia 16 de janeiro, os maiores players do setor. Ser “omnicanal” hoje virou regra do varejo: as marcas estão cada vez mais atentas e preocupadas em marcar presença de forma linear em todos os pontos de contato com os clientes – de canais digitais a pontos offline, como as lojas e publicidade em canais convencionais.

Kao Martin (Crédito: divulgação)

Como as pessoas entram em contato com as marcas das formas mais variadas, as estratégias omnicanal têm a intenção e a possibilidade de alinhar todos os pontos de contato, enquanto atendem  às mais variadas demandas de consumo. “Como acelerar e otimizar as estratégias DTC” (“direct to consumer”) é uma das palestras que, no dia 17 de janeiro, abordará a presença omnichannel das marcas na próxima NRF. Apresentada por  Jim Barnes, CEO da enVista, empresa global de soluções de softwares de varejo e serviços de consultoria, e por Kao Martin, executivo da Young Living Essential Oils, empresa de marketing multinível pioneira no setor de óleos essenciais, a palestra vai tratar de marcas que possuem uma forte estratégia DTC, foco em tecnologia e que estão ganhando clara vantagem competitiva no mercado. Um sistema ágil de gerenciamento de pedidos omnicanal é a chave para otimizar a gestão de pedidos, o cumprimento de prazos e uma experiência total e satisfatória do cliente. 

No mesmo dia, outro painel abordará a transformação omnicanal, com os principais executivos da marca GNC, gigante no setor de vitaminas e suplementos alimentares. Pioneira em estratégias omnicanal, a GNC vem investindo em tecnologias omnichannel para permitir comprar e entregar os produtos atendendo às demandas dos consumidores. Durante a pandemia, a marca global conseguiu bater recordes de vendas e entregas dentro do prazo e vai falar sobre isso em sua apresentação.

Abel Ornelas (Crédito: divulgação)

Aqui no Brasil, a presença omnicanal das marcas é bem vinda pelos consumidores e torna-se, cada vez mais, parte da estratégia das marcas. Para Abel Ornelas, Chief Operating Officer (COO) da Via, empresa que detém marcas como Casas Bahia, Ponto Frio e Extra, a estratégia omnicanal já é uma realidade: “a integração entre o sortimento de produtos da loja física com a virtual também tem sido uma aposta importante. Em todas nossas lojas, o vendedor pode vender um produto dos nossos parceiros do marketplace. Além disso, as lojas físicas também funcionam como um ‘mini hub’ de logística, melhorando o tempo de entrega de compras feitas pela internet. Toda essa estratégia ominicanal faz com que um canal fortaleça o outro”, diz o executivo.

Uma pesquisa encomendada pela FISERV, intitulada “Carat Insights: Projeções para o Varejo 2022”, (e que entrevistou 1500 consumidores brasileiros das classes A até D/E em novembro de 2021) constatou que a presença omnicanal das marcas é um diferencial. A facilidade na troca/devolução de produtos e a segurança no pagamento tem melhor percepção por parte dos entrevistados nas lojas físicas, enquanto preços, promoções e o restante dos atributos são mais bem avaliados nas lojas online. 69% dos entrevistados disse preferir as lojas físicas para troca ou devolução de produtos, e 45% deles acha mais seguro o pagamento nestas lojas. 

A possibilidade de migrar do digital para o físico é um ponto positivo para os entrevistados: 66% dos internautas já fizeram compras pela internet e retiraram o produto na loja física e 70% dos internautas declararam já ter comprado na loja física para receber o produto em casa. Por faixa etária, a faixa entre 35 a 44 anos teve 74% dos entrevistados interessados nas estratégias omnichannel. E por classe social, a classe A teve +78% de respostas sobre a opção de quem já retirou um produto em uma loja presencial depois de ter feito a compra online.

78% dos internautas afirmam fazer compras em lojas integradas (compra física e retirada online ou vice-versa), ainda que raramente. 45% relatam que costumam fazer compras nessa modalidade ao menos uma vez ao mês.

Acompanhe a cobertura especial da Fast Company Brasil da NRF 2022.