POR ANA BEATRIZ CAMARGO

Jogos eletrônicos, definitivamente, não são mais considerados só coisa de menino. A última Pesquisa Game Brasil mostrou que a população que admite ter o hábito de jogar é basicamente meio a meio — com uma leve vantagem para elas. Enquanto os homens são maioria na categoria console, elas dominam os jogos em smartphones. Ou seja, ainda há um amplo mercado de oportunidades em consoles e desktops para atrair cada vez mais o público feminino para essas plataformas.

No cenário dos pro-players (jogadores profissionais), as oportunidades e patrocínios ainda são bem díspares. Não há um número exato de jogadoras disputando as ligas brasileiras e mundiais, mas não é difícil perceber que começam a surgir times exclusivamente femininos dentro dos clubes de esports — ainda em menor número. Porém os desafios não são só por representatividade e equidade de patrocínios; desbravar um universo novo, dominado até então por homens, requer das jogadoras uma disposição psicológica absurda para lidarem com assédios, hates e stalking.

“Ser mulheres no mercado de games é claramente um desafio, seja como pró-player, seja na área de negócios. Os dados comprovam que existe um histórico grande sobre assédios e preconceitos, principalmente dentro das plataformas de jogos. Os chats chegam a ser cruéis”, conta Eduardo Abrão, sócio e head de parcerias e projetos do clube B4 eSports.  

É nesse contexto das minas lutarem por suas posições — e por respeito —  que a plataforma digital de serviços financeiros Digio acaba de anunciar que será a nova patrocinadora do time exclusivamente feminino B4 Angels. Criado há dois anos, o time é composto pelas pró-players Tayhuhu (@tayhuhu), Celinett (@celinettpb), Isaa (@isab_esser), Shyz (@lovelyshyz) e Shizue (@shizuelol), que se dedicam ao Valorant — jogo tático 5:5, para computadores, desenvolvido pela Riot Games. O B4 Angels integra o clube B4 eSports, que conta com times masculinos de Wild Rift, PUGB, Valorant, entre outros.

Da esquerda para a direita: @isab_esser @lovelyshyz @tayhuhu e @celinettpb (Crédito: Reprodução/Instagram)

O Digio estampará com seu logo os uniformes de todos os times da B4 (Wild Rift, PUBG e Valorant e outros), e promoverá ações nos canais de mídias sociais das marcas, com ativações com influenciadores e lives. Ao longo dos próximos meses, as marcas também anunciarão programações para outros grandes projetos.

Segundo Loreta Caporrino, head de marketing do Digio, a plataforma digital tem se aproximado cada vez mais de ações dentro do universo gamer e, neste caso, do patrocínio exclusivo a um time feminino. “Acreditamos que apoiar ações como essa, que coloca os diferentes grupos no centro, é um passo a mais para contribuir com o desenvolvimento e o crescimento da diversidade dentro do ecossistema gamer”, afirma. 

SOBRE A AUTORA

Ana Beatriz Camargo é jornalista, heavy user de redes sociais e escreve sobre o mundo dos games.