Por que as outras marcas deveriam seguir o trabalho de comunidade do Xbox com minorias?

Iniciativas contemplam incentivos às mulheres e pessoas com deficiência, tanto online quanto no mundo lá fora

Crédito: Xbox/ Microsoft

Jeancarlos Mota 7 minutos de leitura

Um dos maiores pilares que qualquer marca gamer precisa nutrir para ir além é a comunidade. Se a melhor propaganda é o boca a boca, não são poucos os gamers conectados para jogar e trocar experiências online. E se tem uma marca que está fazendo um ótimo trabalho de comunidade, essa é a Xbox.

A Xbox Live (comunidade on-line da plataforma Xbox) conta com mais de 100 milhões de jogadores, como afirmou Bruno Motta, gerente de categoria Xbox, durante a última edição do Innovation Festival. No entanto, o gerenciamento dessa comunidade não fica apenas em fornecer boa conectividade para partidas online ou ainda a biblioteca de jogos da “locadora digital de games”, o Xbox Game Pass. A Microsoft tem feito um belo trabalho com todos os membros dessa comunidade, inclusive minorias.

Xbox lança a campanha Power Her Dreams (Crédito: Xbox / Microsoft)

Um desses trabalhos tem foco em ajudar a elevar e apoiar a próxima geração de mulheres líderes e seus sonhos. Com esse pensamento, a Xbox está lançando programas com os times de futebol feminino sênior da Inglaterra e da França, as equipes de basquete feminino Atlanta Dream e NY Liberty, além de alguns talentos incríveis, como Vanessa Bryant. A ideia é inspirar a próxima geração de jogadoras e atletas a sonhar grande.

Este será um dos primeiros passos do compromisso da Xbox em ampliar a representação de mulheres em esportes e games, segundo a vice-presidente de marketing integrado global da Xbox, Kirsten Ward. “Estamos orgulhosos de compartilhar nossa campanha e site recém-lançados Power Her Dreams”, afirmou.

A campanha chega com um vídeo carregado de emoção que é narrado por Vanessa Bryant. Ele compartilha a jornada épica de Zaila Avant-Garde, Littlenavi, Karima Winter, Sabrina Ionescu, Rhyne Howard e Sarah Bond, que deram passos para realizar seus sonhos por meio de um mistura de força, luta, sucesso e muito mais.

Como parte desta campanha por tempo limitado, a Xbox convida os fãs que amam basquete e jogos para nos contar sobre seus sonhos no portal Power Her Dreams. Você pode enviar um sonho e escolher uma das duas instituições de caridade para quem a Xbox o pagará com uma doação por sonho:

  • Mamba & Mambacita Sports Foundation – organização sem fins lucrativos dedicada a criar impacto positivo para atletas carentes e meninos e meninas no esporte. Fundada graças à visão e memória amorosa de Kobe e Gianna “Gigi” Bryant.
  • Girls Who Code – organização internacional sem fins lucrativos que trabalha para diminuir a diferença de gênero na tecnologia. A Girls Who Code lidera um movimento para inspirar, educar e equipar estudantes que se identificam como meninas ou não-binários com as habilidades de computação necessárias para buscar as oportunidades do século XXI.

A Microsoft ainda avisa que, para cada envio feito no site entre 20 de julho e 30 de setembro, a marca doará US$ 10 para uma dessas duas organizações sem fins lucrativos, até o máximo de US$ 50 mil para cada.

Em paralelo, a parceria com o NY Liberty revelará, em breve, uma quadra de basquete doméstica muito especial e única para o time. Ela será instalada no Barclays Center e promete ser uma experiência inédita. Já a com o Atlanta Dream há uma parceria para destacar um número selecionado de sonhos da campanha Power Her Dreams durante o jogo contra o NY Liberty.

A Xbox também fornecerá alguns consoles personalizados especiais e exclusivos do Atlanta Dream Xbox Series S, que serão distribuídos durante a noite para vários fãs sortudos.

A marca ainda levou suas parcerias para as seleções da Inglaterra e França quando começaram as campanhas de verão (inverno no hemisfério sul) para a glória do Torneio Europeu. Para começar, a equipe FC Mortons fez um tour pelas prestigiadas instalações de treinamento do St George’s Park da Football Association, onde tiveram a chance de perguntar para as duas jogadoras da seleção inglesa de futebol feminino (a England Lionesses) sobre suas carreiras e passar algum tempo aprimorando suas habilidades com uma sessão de treinamento.

A ação será um dos primeiros passos do compromisso da Xbox em ampliar a representação de mulheres em esportes e games

Depois disso, as mesas viraram com uma chance para as jovens jogadoras de futebol treinarem Ellen White e Lucy Staniforth em um minijogo de parkour personalizado com o tema Minecraft. Para encerrar o dia, quando os ‘Cubs’ se alinharam ao lado das duas lionesses para uma foto final, a equipe e os treinadores receberam uma surpresa: seriam os beneficiários de um pacote de patrocínio dedicado de Xbox para empoderar seus sonhos na próxima temporada.

Com a Federação Francesa de Futebol, a Xbox trabalhou em uma série de entrevistas nas quais cinco integrantes da seleção feminina falaram sobre seus sonhos de chegar ao topo do futebol feminino no país. Sakina Karchaoui, Kadidiatou Diani, Griedge Mbock, Delphine Cascarino e Clara Mateo dedicaram um tempo para conversar sobre o que as levou a perseguir seus sonhos, desde as primeiras aspirações na infância até seus objetivos mais recentes, alimentados pela sede de vitória. Depois de anos de trabalho duro e garra, seus esforços valeram a pena e se tornaram inspirações para jovens em todos os lugares.

CAMPANHA DO ORGULHO PCD

Outra bela iniciativa que a Xbox lançou recentemente foi a homenagem ao mês do Orgulho das Pessoas Com Deficiência (PCD). A campanha foi realizada pela primeira vez pela marca e tinha como objetivo destacar a importância de celebrar as PCDs ao reconhecer nossas próprias experiências únicas com a deficiência como um aspecto natural e belo da diversidade humana, incluindo todo tipo de deficiências – visíveis e invisíveis.

Crédito: Xbox/ Microsoft

“Esta é uma oportunidade para o Xbox celebrar os mais de 400 milhões de jogadores com deficiência em todo o mundo. Nosso objetivo é criar um espaço onde as pessoas não sintam a necessidade de mascarar ou cobrir suas deficiências, mas encontrem conexão entre uma comunidade de jogos inclusiva que nos celebra como somos”, afirma Kaitlyn Jones, gerente do programa de acessibilidade, que também é membro da Comunidade de Jogos e PCD da Microsoft. 

“Como alguém com múltiplas deficiências invisíveis, a tendência é de mascarar e cobrir o que ressoa em mim. Devemos trabalhar para remover essa barreira para tantos que sentem que devem esconder suas deficiências para se encaixar ou fazer com que os outros se sintam mais confortáveis”, diz Kaitlyn.

A campanha de celebração das PCDs reconhece nossas próprias experiências únicas com a deficiência como um aspecto natural e belo da diversidade humana.

“Demorou muitos anos, mas, com o apoio de amigos e familiares, aprendi a abraçar a importância da minha saúde mental, dor crônica e deficiências relacionadas ao déficit de atenção como aspectos-chave da minha identidade. Como tantos outros na comunidade PCD, isso impulsiona o trabalho que considero significativo e levou a oportunidades incríveis de trabalhar em projetos próximos e queridos ao meu coração. Isso inclui nossa nova seção de Diretrizes de Saúde Mental dentro da Diretrizes de Acessibilidade do Xbox lançadas em maio”, completa.

Foram anunciadas ainda outras novidades visando a comunidade PCD, como língua de sinais no canal da Twitch do Xbox nos EUA, suporte ao Family Gaming Database, para facilitar a busca por jogos com esquemas de controle adequados para os jogadores com deficiência e listas de jogos com a curadoria da comunidade PCD.

Outra novidade é a adição de tags/ etiquetas de recursos de acessibilidade para jogos na Xbox Store, para facilitar a busca por jogos que tenham um ou mais das 20 tags de acessibilidade definidas em parceria com a comunidade de PCD e pesquisa com usuários – com mais de 400 títulos marcados e mais de 100 com cinco ou mais tags.

Francamente, Xbox e Microsoft estão de parabéns por essa iniciativa que mostra que eles estão de olhos bem abertos para toda a sua comunidade. Fica nossa torcida para que esse projeto dê muito certo e cresça em escala global de modo que outros países, como o Brasil, possam usufruir das oportunidades criadas. E que a moda pegue para demais marcas também.


SOBRE O AUTOR

Jeancarlos Mota é co-publisher de games da Fast Company Brasil, editor-chefe do IGN Brasil e apaixonado por games e esportes. saiba mais