Congresso debate estratégias para investimento social privado

IPTI realiza em São Paulo, entre 8 e 12 de agosto, o UP – Utopia Pragmática, congresso presencial para reunir o setor privado e investidores sociais

Créditos: Kelly Sikkema/unsplash | Utopia Pragmatica | PNGTree, divulgação IPTI

Redação Fast Company Brasil 2 minutos de leitura

O conceito de tecnologia social é uma estratégia eficiente e inovadora para os investimentos sociais privados. As empresas que querem deixar de lado o “mais do mesmo”, especialmente quando o assunto é agenda ESG, precisam ficar atentas a este caminho ao pensar em projetos de superação da pobreza.

Um dos maiores especialistas e divulgadores deste modelo é o sergipano Saulo Barretto, cofundador do IPTI (Instituto de Pesquisas em Tecnologia e Inovação), instituição de arte, ciência e tecnologia sem fins lucrativos que gera inovações capazes de promover o desenvolvimento humano a partir da criação de tecnologias sociais nas áreas de educação básica, educação empreendedora e saúde básica.

“A tecnologia social é um conceito que implica numa abordagem científica e tecnológica bastante inovadora, principalmente porque coloca a comunidade como parte ativa no processo de pesquisa, deixando de ser apenas mera beneficiária”, explica Barretto.

Para discutir o tema, o IPTI realiza em São Paulo, entre 8 e 12 de agosto, o UP – Utopia Pragmática, congresso presencial que terá como principal objetivo reunir o setor privado e investidores sociais para um debate – e apresentação de exemplos de projetos de sucesso – sobre o uso das tecnologias sociais e sobre o papel do investimento privado no combate ao cenário de pobreza no Brasil.

Saulo Barretto, do IPTI: “O que propomos é uma mudança de mentalidade”

“O que propomos é uma mudança de mentalidade. Quando se chega em uma comunidade muito carente com projetos de melhoria social, a tendência é dar às pessoas o que elas estão precisando na urgência, o que necessitam prontamente em um curto prazo. Comida, emprego ou uma capacitação para um pseudoemprego são as estratégias mais comuns entre empresas e apoiadores que querem ajudar. Isso precisa mudar, porque acaba não promovendo transformação social”, afirma Saulo. 

O UP será realizado na Casa Melhoramentos, na Lapa, zona oeste de São Paulo, e contará com seis painéis nos quais serão discutidos temas e casos de sucesso relacionados ao investimento social privado, tanto na perspectiva das tecnologias sociais quanto da agenda ESG.

A entrada é gratuita e o cadastro pode ser feito pelos links abaixo. 

Confira a agenda: 

Segunda-feira, 8 de agosto

O “S” da agenda ESG – métricas, tendências e oportunidades

Terça-feira, 9 de agosto

LED, Luz na Educação – a educação na perspectiva de política de sociedade

Quarta-feira, 10 de agosto

Segurança alimentar – o potencial transformador da associação entre agricultura familiar, tecnologias digitais e ciência de dados

Quinta-feira, 11 de agosto

Ensino de programação – fronteiras e oportunidades de transformação social e novos negócios

Sexta-feira, 10 de agosto

Inovação e simplicidade para tratamento de resíduos sólidos em comunidades subestimadas


SOBRE O(A) AUTOR(A)

Conteúdo produzido pela Redação da Fast Company Brasil. saiba mais