Se muitas reuniões poderiam se transformar em e-mails, muitos correios eletrônicos também poderiam, simplesmente, deixar de existir.

As autoridades britânicas, por exemplo, estão sugerindo que você deixe de lado as amenidades por e-mail, pois envios extras aumentam as emissões de carbono.

“Obrigado!” “Rsrs!” “De nada!” #not

Os britânicos enviam mais de 64 milhões de e-mails supérfluos todos os dias, de acordo com um um estudo da Ovo Energy intitulado “Think Before You Thank” (Pense Antes de Agradecer).  E-mails demandam energia elétrica de dispositivos, redes e centros de processamento de dados. O estudo revelou que, se cada pessoa mandasse um e-mail a menos por dia, as emissões de carbono diminuiriam 16.433 toneladas por ano.

OK, é uma mudança pequena, uma vez que os centros de processamento de dados criam cerca de 0,1% da pegada de carbono mundial – enquanto automóveis criam, por exemplo, cerca de 20%. No entanto, no estágio atual da crise ambiental provocada pelas mudanças climáticas, pequenas mudanças podem fazer a diferença.

Os britânicos têm motivos para levantar o assunto agora. O Reino Unido sediará a próxima conferência sobre mudanças climáticas, a UN COP 26, e precisará promover meios inovadores e factíveis de reduzir as emissões. O estudo da Ovo relatou que a maioria dos e-mails desnecessários não gera ações e normalmente só possuem uma linha.

Eis os vilões:

  • Obrigado
  • Grato
  • Bom final de semana
  • Recebido
  • Ótimo
  • Tenha uma boa noite.
  • Você recebeu/viu isso?
  • Parabéns
  • Você também
  • rsrs

Para te ajudar a parar de enviar essas monstruosidades sem função, a Ovo lançou no ano passado o Carbon Capper, uma extensão do Chrome que emite um alerta todas as vezes que você clica enviar em um e-mail com menos de quatro palavras.

Patrulha? Sem dúvida. Mas por uma boa razão.