Criada em 2012, a startup de meios de pagamentos Stone se tornou um unicórnio, ou seja, avaliada em mais de US$ 1 bilhão, em 2018, ano em que captou US$ 1,5 bilhão em abertura de capital na Nasdaq. Atualmente, com valuation de mais de US$ 20 bilhões, a empresa apostou, nos últimos anos, sobretudo, na diversidade de investimentos em startups para suportar seu crescimento. Em maio do ano passado, entrou em dois novos segmentos. O de saúde, ao adquirir a plataforma de planos de saúde Vitta, e o de delivery, ao destinar dois aportes no aplicativo Delivery Much. Em agosto de 2020, protagonizou um dos grandes negócios das empresas de tecnologia no Brasil adquirindo a Linx por R$ 6 bilhões.

Augusto Lins, presidente da Stone

Esse movimento, como explica Augusto Lins, presidente da Stone, visa buscar e inserir na cultura digital da companhia o frescor do empreendedorismo e a velocidade de novas soluções. “Nossa história é parecida com a de muitas das startups que aportamos, também saímos do zero e ainda queremos chegar muito mais longe. Quando realizamos um investimento não buscamos uma incorporação de uma nova equipe pela Stone. Pelo contrário, enxergamos sempre como uma adição ao nosso ecossistema que está repleto de empreendedores que seguirão tocando seus próprios negócios”, explica.

O que também está por trás desse movimento, como frisa Augusto, além da aproximação com empreendedores, é a necessidade de manter o processo de digitalização da empresa que deve ser contínuo. “O foco que temos nos clientes nos permitiu, já em 2019, criar soluções para apoiar a digitalização do varejo, criar programas de fidelidade e facilitar a venda on-line. Tudo isso para que os consumidores tenham a melhor experiência de compra e para que eles ganhem produtividade com a automatização de atividades manuais que lhes tomam muito tempo. Ainda é difícil prever o alcance dessa transformação, mas haverá certamente muitas consequências positivas: novas demandas a serem resolvidas e muitos empreendedores precisando de ajuda para atender à uma nova exigência de uma sociedade mais digital.”, explica.

“A parceria entre a mLabs e a Ton já possibilitou a extensão de treinamento em marketing digital para mais de 70 mil pequenos empreendedores”

Um outro momento emblemático na trajetória da Stone foi a parceria fechada com a Globo, em 2019, que deu origem a uma spin-off, a Ton, criada no início de 2020. O projeto se baseou em um formato de media equity, quando um dos aportes, no caso da Globo, é tempo de mídia. Essa dinâmica aproximou a Stone dos veículos de massa. Na ocasião, a Globo investiu R$ 461 milhões em conteúdo de mídia.

A Ton, spin-off fruto da parceria entre Globo e Stone, se propõe a atender microempreendedores (Crédito: Reprodução)

O FOCO EM MARTECH NA EXPANSÃO DO ECOSSISTEMA

Neste processo de expansão, Augusto destaca a importância de fortalecer o ecossistema de negócios no Brasil. Na prática, isso significa também potencializar ferramentas de marketing e escalar na rede de parceiros da Stone. Em maio do ano passado, a Stone se tornou sócia da martech mLabs que passou a atender além da empresa-mãe, outras subsidiárias como Pagar.me, Mundipagg, Vhsys, Equals, entre outras.

O principal objetivo da parceria é possibiltiar que pequenos e médios negócios consigam crescer através do marketing digital. “A sociedade com a Stone foi um passo fundamental no nosso propósito de inclusão dos micro e pequenos negócios no marketing digital, através das redes sociais”, explica Rafael Kiso, fundador e CMO da mLabs.  Por outro lado, o investimento vindo da Stone permitiu que a mLabs ampliasse times de produto, tecnologia, atendimento e marketing. De acordo com o Sebrae, no Brasil, existem mais de 17 milhões de pequenas e médias empresas.

“Os principais desafios sempre são na jornada do cliente, tanto mLabs como Stone tem um pensamento centrado no cliente. Acreditamos que o sucesso dos projetos que estamos iniciando juntos se devem a sinergia de ambas as equipes em sempre colocar o cliente no centro de toda experiência”
Caio Rigoldi, CEO da mLabs.

Esse projeto também possibilitou, em parceria com a Ton, mais de 70 mil pequenos empreendedores treinados em marketing digital. “Os principais desafios sempre são na jornada do cliente, tanto mLabs como Stone tem um pensamento centrado no cliente. Acreditamos que o sucesso dos projetos que estamos iniciando juntos se devem a sinergia de ambas as equipes em sempre colocar o cliente no centro de toda experiência”, diz Caio Rigoldi, CEO da mLabs.

MARKETING ORIENTADO A NEGÓCIOS

Alessandra Giner, diretora de marketing da Stone, explica que, em um processo de digitalização como o que vem sendo presenciado pela Stone, o marketing precisa garantir que as alavancas do negócio estejam alinhadas no mesmo foco, garantindo que além da venda, exista um alto índice de satisfação e fidelidade do cliente. “Na Stone, temos um ecossistema de empresas de tecnologia que oferecem diversas soluções para o pequeno e médio empreendedor. A área de marketing tem atuado de forma bem próxima a esses times, servindo como ponte para troca de conhecimento, networking e garantia do alinhamento de cultura e propósito. Todas as empresas do ecossistema são orientadas por um mindset de crescimento e geração de resultado assim como o nosso e, por isso, a relação estabelecida entre os times reflete diretamente nos resultados positivos reportados mês a mês”, afirma.

Em março de 2020, a Stone se tornou sócia da mLabs, com o objetivo de profissionalizar a gestão de social media para as pequenas e médias empresas (Crédito: Reprodução)

De acordo com Alessandra, o termo brandformance é cada vez mais ouvido nas discussões de campanha e também faz sentido para todo o ecossistema. “Ao longo dos últimos 2 anos, formamos uma equipe multidisciplinar para evoluir em pilares como planejamento & mensuração. Seja em uma live com milhões de streams, uma ação na TV ou uma campanha de captação de leads, temos uma preocupação em medir os indicadores certos e gerar aprendizado para potencializar os resultados, sempre com muita tecnologia envolvida”.

SOBRE O AUTOR

Luiz Gustavo Pacete é editor-contribuinte da Fast Company Brasil