O mercado de GRC (Governança, Riscos e Compliance) deve crescer 60% e valerá US$ 786 milhões até 2025. Os dados são de um estudo da Bravo Research, novo braço da risktech Bravo GRC.

O relatório aponta que o engajamento do país nesta área vem crescendo continuamente de 2014 para cá: de 10,2% ao ano, o que impulsionou um crescimento de US$ 278 milhões para US$ 492 milhões.

“Desde o começo de 2020, os softwares de gestão de risco vêm crescendo em preferência, sinalizando foco na prevenção dos incidentes”

Globalmente, as soluções de GRC terão proporções similares entre grandes empresas e PMEs: as primeiras terão um mercado de U$31,3 bilhões e 52% de participação, enquanto as segundas serão responsáveis por um mercado de U$29,5 bilhões, com participação de 48%.

A Bravo analisa que as soluções de GRC são vastamente exploradas pelas grandes corporações que, devido à maior complexidade operacional, tanto em escala quanto em requisitos regulatórios, precisam de ferramentas mais robustas para o gerenciamento nesse campo.

Porém, o mercado de PMEs tem crescimento estimado de 11% ano a ano, cerca de 2% superior às grandes empresas: o market size de US$ 172 milhões em 2020 já era o dobro do registrado em 2014, e a projeção para 2025 é de US$ 291 milhões, correspondendo a 37% do market share. O dado pode ser justificado pela expansão da transformação digital, dos IPOs e do aumento de exigências regulatórias.

SOFTWARES EM ALTA

Softwares compõem cerca de 63% do mercado de GRC, proporção que tem se mantido estável de 2014 a 2025, segundo a pesquisa. Os softwares que compõem as soluções de GRC em sua maioria são: gestão de incidentes, gestão de riscos, gestão de políticas e compliance e gestão de auditorias.

Até 2019, as companhias investiram mais em soluções de gerenciamento de incidentes, demonstrando preferência por um ferramental para gestão reativa, em que o planejamento e a tomada de decisão vêm após a incidência e materialização de impactos à organização.

“A transformação digital não é apenas do negócio, mas também de todas as suas funções de suporte. Riscos que no passado eram menos relevantes são mais críticos nos dias de hoje”

Mas, desde o começo de 2020, os softwares de gestão de risco vêm crescendo em preferência, sinalizando foco na prevenção dos incidentes. No ano passado, esse tipo de solução atingiu 30% de participação e deve chegar a 46% em 2025.

Na América Latina, a liderança dos softwares de gestão de riscos será alcançada rapidamente, pois apresentará um crescimento acumulado, em relação a 2014, de 438% até 2025.

Apesar de essa modalidade despontar como tendência, ainda não é expressiva no mercado brasileiro: partiu de um market share de 18% em 2014, atingiu 21% em 2020 e a projeção é de que atinja 23% em 2025.

A gestão de incidentes ainda é mais utilizada no país: tem crescimento médio anual de 9% e seguirá responsável por 37% do mercado de softwares.

Segundo análise do CEO da Bravo GRC, Claudinei Elias, o mercado de GRC provou sua capacidade de continuar crescendo de forma sustentável e resiliente, apesar das dificuldades econômicas e do contexto e se apresentam como algo ainda mais relevante considerando o contexto VUCA (volátil, incerto, complexo e ambíguo).

“A transformação digital não é apenas do negócio, mas também de todas as suas funções de suporte. Riscos que no passado eram menos relevantes são mais críticos nos dias de hoje, a exemplo dos riscos relacionados a tecnologia da informação e compliance. Trata-se de uma dinâmica de riscos criada pela inovação tecnológica que demanda tecnologia para geri-los”, diz.

SOBRE A AUTORA

Isabella Lessa é redatora-chefe da Fast Company Brasil.