POR REDAÇÃO FAST COMPANY BRASIL

Os fãs de Ayrton Senna vão ter a oportunidade de “correr” em bólidos semelhantes aos carros pilotados pelo tricampeão mundial de Fórmula 1. A experiência é uma homenagem a um dos maiores ídolos do esporte no Brasil e em vários outros países em que a categoria mais nobre do automobilismo ecoa. A partir do dia 20 de outubro estará disponível uma expansão do game Horizon Chase, da desenvolvedora Aquiris, que traz o nome de “Senna Sempre”.

A data é emblemática. Em 20 de outubro de 1991, o brasileiro levou sua McLaren para a linha de chegada em segundo lugar no GP do Japão, no circuito de Suzuka. Era o que lhe bastava para garantir seu terceiro título mundial na F1. O game, portanto, desembarca no mercado a tempo de celebrar 30 anos dessa conquista. 

Inspirado em jogos eletrônicos que fizeram sucesso nas décadas de 80 e 90, como Cruisin USA, Top Gear, Rush e Lotus Turbo Challenge, Horizon Chase tem a característica de recriar momentos clássicos dos Arcades. A homenagem a Senna encontra inspiração em um desses títulos, da Sega.  “O Super Mônaco GP II tinha vozes gravadas. Senna colaborou com sua voz. Esse foi um dos jogos da minha vida”, conta Sandro Manfredini, sócio e diretor de negócios da Aquiris.

O desejo de reverenciar a memória do piloto no Horizon Chase, que foi lançado em 2015, já existia há algum tempo, mas somente há pouco mais de um ano a expansão começou a ser desenvolvida. A Aquiris procurou primeiro o Instituto Ayrton Senna para levar a proposta. Afinal, parte das vendas do novo produto seria destinada a programas educacionais da instituição. As negociações foram concluídas com a Senna Brands, empresa criada pela família para licenciar e gerir marcas ligadas ao piloto. “Queríamos unir o útil ao agradável. A Aquiris é uma empresa brasileira de jogos, ele é uma lenda do automobilismo que tem uma conexão com o público que vai além das corridas”, diz Manfredini.

Como ele ressalta, Senna transmitia a ideia de alegria e esperança numa época muito desafiadora do país. E também promovia um encontro familiar aos domingos, quando muitos brasileiros se reuniam diante da TV para ver o piloto nas pistas. Essa cena é reproduzida no trailer que divulga o game. No filme, pai e filho estão vendo juntos uma corrida de F1. O garoto cresce e, adulto, está de volta diante da TV, porém para disputar uma prova do game com a filha.

Criado para celular, o Horizon Chase já tem mais de 60 milhões de downloads. A expansão, no entanto, está disponível para outras plataformas também, foram os dispositivos equipados com iOS e Android:  PlayStation 4, PlayStation 5, Nintendo Switch, Xbox One e Series X e S. No PC, o game pode ser jogado via Steam, Epic Game Store e Nuuvem. Os preços do pacote de expansão variam entre R$ 29,90 e R$ 27,90. Já a edição especial Horizon Chase Turbo que inclui “Senna Sempre” tem uma versão física somente para PS4 no Brasil com valor de R$99,90, mas que está nas lojas na pré-venda com descontos aplicados conforme o varejista.

CINCO CAPÍTULOS

O game tem duas opções de corrida. No modo carreira, é possível jogar como se fosse o próprio Senna. Ou seja, a visão é de quem está no cockpit. É a primeira vez que isso acontece no Horizon Chase. São cinco capítulos para emular uma disputa feita pelo ídolo. Emular mesmo. Os carros são inspirados nos bólidos reais. Dá para jogar sozinho ou fazer uma disputa entre 4 players (o que não acontece no celular).

Divulgação

No capítulo 1, o jogador estará no “ano da chegada” do brasileiro na F1, quando ele pilotou um Toleman, em 1984. O segundo capítulo está reservado à temporada na Lotus, com o famoso F1 nas cores preta e dourada (entre 1985 e 1987). Os capítulos 3, 4 e 5 correspondem aos anos de Senna na McLaren, quando conquistou seus títulos, respectivamente em 1988, 1990 e 1991.

Se o jogador atinge resultados semelhantes aos do tricampeão, ele recebe animações especiais. Com exemplo, fica mais fácil entender. No GP de Mônaco de seu primeiro ano na Fórmula 1, Senna obteve o segundo lugar. Foi um domingo em que choveu – e quem conhece a história do piloto sabe que ele era conhecido como o “rei da chuva”. No game, se o jogador fechar a prova em segundo ou primeiro lugar, é desbloqueada uma animação e um texto jornalístico rememorando essa corrida de Senna. “Quem é mais novo e não viu Senna correndo, vai ter a oportunidade de conhecer melhor os resultados dele”, explica Manfredini.

Existem também missões. Ou “façanhas”. Um dos desafios está no GP Brasil. Nesse circuito, é preciso chegar ao menos em segundo lugar para cumprir a façanha. Cada corrida tem três missões. 

CORRIDA EM “MÔNACO”

A segunda alternativa de jogo é o modo campeonato. O carro já não é mais um modelo semelhante aos pilotados pelo tricampeão. No entanto, continua sendo um bólido inspirado num F1, um pedido antigo dos jogadores habituais do Horizon Chase, agora atendido.

São três níveis de dificuldades na disputa. E há 18 equipes em disputa e mais de 30 carros na competição, que vão sendo desbloqueados. A visão é também de quem está no volante. Que remete à visão de quem jogava Super Mônaco GP. 

Os circuitos têm nomes fictícios e parecem com as corridas do circo da F1. São 15 pistas para o jogador se entreter. Tem prova que lembra o GP do Japão, o do Brasil e, sim, o famoso Grande Prêmio de Mônaco com seus túneis nas ruas do principado.  

GAME PARA O MUNDO TODO

O lançamento é global e há versões em outras línguas. Horizon Chase tem penetração em outros países e a expansão foi batizada como Senna Forever. A F1 tem alcance mundial e o piloto brasileiro tem admiradores em qualquer canto do planeta. Mas… no automobilismo a Fórmula 1 nunca conseguiu nos Estados Unidos o mesmo destaque que tem em países como Japão, Argentina, Austrália e no bloco europeu. E qual é o principal mercado no universo dos games? O americano.

“Lá, a Nascar e a Indy são as principais categorias. A F1 não tem nos EUA seu maior mercado, mas testamos o vídeo com o pessoal da Nintendo americana e eles adoraram. E há comentários no trailer. A gente imagina que o impacto será maravilhoso em países como Inglaterra, Alemanha, Espanha, França, Itália e no Japão”, pontua Manfredini. Ele lembra que Lewis Hamilton, o grande piloto a ser superado atualmente, tem Senna como ídolo. E a McLaren do brasileiro era equipada com motores Honda, fabricante japonesa.

Manfredini sustenta que, para reviver a trajetória de Senna, seguindo seus passos – ou aceleradas – na F1, não há outro game com tanto conteúdo quanto a expansão do Horizon Chase. “Ele está presente em outros jogos. Mas nesses não tem capítulos inteiros inspirados nas provas dele, não tem textos jornalísticos falando dele, nem pequenas missões que conectam o jogador à história do Senna”, resume. Para quem busca também conhecer mais do piloto, a proposta é, de fato, digna de bandeira quadriculada no final.