Este será um dos anos mais desafiadores para os designers: ajudar a reconstruir uma sociedade abalada pela Covid-19, a resolver problemas econômicos, raciais e climáticos. Buscar inspiração no Instagram ou num livro da Taschen não será suficiente. Então recorremos a designers para pedir recomendações de livros que os profissionais da área – e qualquer pessoa que queira manter-se bem-informada – deveriam ler para expandir o pensamento para além do texto tradicional de design. As escolhas são variadas: memórias, análises aprofundadas sobre os infográficos da W.E.B. Du Bois e um livro sobre a história dos EUA. Confira as 14 dicas:

1) A People’s History of the United States, de Howard Zinn

Crédito: Harper Collins

O livro dá um panorama sobre como a história dos EUA foi marcada pela exploração de grupos de americanos em nome de interesses e privilégios. Em 2021, não há nada mais importante para um designer que mora no país do que entender o significado de ser um cidadão norte-americano. – Khoi Vinh, diretor sênior de design de produto da Adobe

Crédito: Harper Collins

2) Together: The Healing Power of Human Connection in a Sometimes Lonely World, de Vivek Murty

Quando foi cirugião-geral dos Estados Unidos pela primeira vez, em 2015, Dr. Vivek Murthy ouviu histórias de todo tipo de pessoas pelo país. Em sua jornada, além de constatar aumento nos casos de diabetes, doenças cardiovasculares e uma crise de opioides, percebeu um padrão comum para o sofrimento da população: a solidão. Sem a conexão humana, a saúde individual e coletiva sofrem. Ainda mais agora, depois de um ano de quarentena, o senso de isolamento impregna todas as nossas experiências cotidianas. O livro pode inspirar designer a criar experiências que unam as pessoas e façam com que cada um se sinta menos sozinho e mais conectado. – Sandy Speicher, CEO da Ideo

3) W.E.B. Du Bois’s Data Portraits: Visualizing Black America, de Whitney Battle-Baptiste e Britt Rusert

Crédito: Princeton Architectural Press

Todo designer e artista gráfico em início de carreira deve ler esse livro para ver como a combinação entre ciência e arte pode chamar atenção para “lutas invisíveis”. É importante compartilhar histórias de pessoas reais no design para nos ajudar a criar um senso mais profundo de empatia pela humanidade do outro. – Quinnton Harris, diretor criativo da Publicis Sapient

4) The Politics Industry, por Katherine Gehl e Michael Porter

Crédito: Harvard Business Review Press

A política norte-americana é disfuncional e os maiores problemas não estão sendo resolvidos. Republicanos culpam democratas e vice-versa. E se encararmos o problema como uma questão de design? Como as eleições podem funcionar melhor? Como podemos fazer leis que resolvam, de fato, os problemas. Este livro fala que os entraves políticos dos EUA são sistêmicos e não há consenso sobre uma estratégia de reforma que poderia reverter esse cenário. Os autores ajudam a desconstruir como a política chegou a esse ponto e elaboram caminhos para revigorar a democracia. – Debbie Millman, fundadora e apresentadora do Design Matters

Crédito: Farmer & Farmer Press

5) Syntax e Sage, de Sep Kamvar

O autor, um renomado especialista em tecnologia e ex-professor do MIT, traz lições curtas, porém profundas sobre softwares na última década. O livro está repleto de reflexões, vinhetas e aforismos que nos guiam para um caminho mais compassivo e consciente sobre como construir tecnologias. – Enrique Allen, cofundador do Designer Fund

6) My Own Words, de Ruth Bader Ginsburg, The Color of Law, de Richard Rothstein, Health Design Thinking de Bon Ku e Ellen Lupton

Crédito: Simon and Schuster, Economic Policy Institute, MIT Press

Em 2021, o design enfrentará dois importantes desafios: combater a desigualdade e enviar mensagens claras em meio a muito barulho. Com suas próprias palavras, Ruth Bader Ginsburg aborda as duas questões ao falar sobre a evolução de seu trabalho. A biografia da falecida juíza é um legado inspirador sobre uma pioneira que usou a lei para nivelar o campo para tantos, mas também um prato cheio de lições de design práticas.
O ano também será importante para repensar a equidade racial. The Color of Law explica como décadas de políticas discriminatórias levaram a desvantagens estruturais que prevalecem até hoje. Se quer usar o design como uma força em nome da questão racial, este livro revelará muitas das barreiras estruturais que precisam ser redesenhadas.

Estamos começando planos para uma vida pós-Covid e, neste cenário, a saúde continua sendo uma questão central. Health Design Thinking traz um tutorial visual cheio de exemplos de produtos, espaços e processos de design conduzidos por Bon Ku, física da Jeffeson Health Design Lab, e Ellen Lupton, curadora sênior do Smithsonian Design Museum. – Andrew Ibrahim, cirurgião e chief medical officer da Hok

Crédito: Crown Publishing

7) Uma terra prometida, de Barack Obama

Obama entendeu o dilema do designer, que é saber que sempre haverá lutas, mas é preciso continuar a tentar descobrir como enfrentá-las. Essa noção o levou a fazer coisas incríveis, como trazer designers e cientistas de dados para criar o Serviço Digital norte-americano, uma estrutura cívica baseada em UX para atender melhor à população. Obama teve dificuldades como qualquer liderança, mas designers podem aprender com a filosofia dele. Sempre que ele se sentiu encurralado, recorreu à empatia e à força de suas convicções. – Doreen Lorenzo, diretora assistente da School of Design e Creative Technologies da Universidade do Texas, em Austin

Crédito: Currency

8) Como ter um dia ideal, de Caroline Webb

A autora oferece dicas fáceis para impulsionar a produtividade e o foco para concluir tarefas, lidar com conflitos e refletir sobre sucessos e derrotas. As recomendações são embasadas por dados de pesquisas comportamentais e econômicas. Cada capítulo do livro traz conselhos que podem ser referências para o ano inteiro. – Kate Aronowitz, sócia de operações da GV

Crédito: Basic Books

9) A Hipótese da Felicidade, de Jonathan Haidt

De acordo com Haidt, a felicidade não se encontra ou compra. É preciso achar as condições certas e esperar. Há muitos motivos para ser infeliz hoje, mas é bom lembrar do que nos faz feliz. Quais as condições da felicidade? Como posso trazê-las para minha vida e meus relacionamentos, meu trabalho com designer industrial e para minha relação com algo maior, geralmente na presença de grandes artes?

O autor diz que vale a pena lutar para acertar a relação entre você e os outros, entre você e o trabalho, entre você e algo maior do que você. Se ajustar esses relacionamentos, um senso de propósito e significado emergirão. – Ayse Birsel, autora de Design the Life You Love

Crédito: HarperCollins, Random House, Macmillan

10) My Vanishing Country, de Bakari Sellers, Caste de Isabel Wilkerson, Uncomfortable Conversations With a Black Man, de Emmanuel Acho

Ouça os audiobooks My Vanishing Country e Caste para entender hierarquias raciais nos EUA. Esses livros, assim como o Uncomfortable Conversations With a Black Man ajudam a colocar as ideias sobre raça em perspectiva. As abordagens me ajudaram a considerar novas formas de falar sobre inclusão nas minhas aulas, no meu trabalho e na minha vida pessoal. Estou fazendo o bastante pela próxima geração? Não, mas esses livros me inspiram a continuar tentando. – Gail Anderson, chair da BFA e da School of Visual Arts de Nova York.

SOBRE A AUTORA

Suzanne LaBarre é editora da Co.Design. Antes, foi editora de conteúdo online do Popular Science e escreveu para New York Times, New York Observer, Newsday, entre outros.