POR FÁBIO CARDO

As garantias sempre foram essenciais para a concessão de crédito, em qualquer atividade pessoal ou empresarial. Quando se trata de financiamento do agronegócio, setor que depende muito desse suporte desde a aquisição dos insumos até a venda dos produtos, as complicações são muito maiores. 

As inúmeras variáveis das operações, nem sempre controláveis tais como clima e pragas, podem influenciar na produção e comprometer a capacidade de pagamento e de honrar com os compromissos assumidos junto com as entidades de crédito. Para dar suporte às atividades de crédito, a evolução da tecnologia está reduzindo sensivelmente as vulnerabilidades. A adoção de sistemas de big data, a partir da coleta de dados do campo e processamento de forma lógica, transformando em informações analíticas, está servindo de base para alinhar os processos de crédito. 

A Brain Ag é uma das empresas que atuam com coleta de dados e processamento de relatórios que são base para análise de crédito e aferição de produtividade. A empresa usa mais de 150 fontes de informações que mapeiam as operações rurais quanto a certidões, conformidade socioambiental, processos judiciais, além de registrar imagens por geoprocessamento.

Renato Girotto, CEO da empresa, destaca que a empresa conta com sistemas de sensoriamento remoto que permitem coletar dados das operações rurais em tempo real, com muita precisão. Sistemas de telemetria e uso de GPS garantem a coleta das informações, com o suporte de satélites. Grandes propriedades rurais que contam com torres de comunicação complementam a cobertura de rede, necessária principalmente quando as questões climáticas não permitem a captação das imagens de satélites.

Renato Girotto, CEO da Brain Ag (Crédito: Brain Ag)

Segundo Girotto, “as soluções que oferecemos ao mercado permitem gerar score de crédito com mais agilidade e ampliar o acesso a recursos financeiros aos tomadores de empréstimos rurais”. O sensoriamento remoto inclui também dados de mercado, de armazenagem e sobre as fronteiras agrícolas para os produtos. O big data da empresa embarca as informações de forma ampla, para permitir a assertividade e confiabilidade nas operações de crédito.

A empresa, que tem como sócia a Serasa Experian desde abril de 2021, já processou mais de 30 mil análises de crédito, para quase 10 mil empreendedores tomadores de crédito rural. Conseguiu identificar também mais de 1800 passivos ambientais, informação de grande relevância nos processos atuais de crédito. 

A Brain Ag é também acessível para o pequeno produtor, por meio de um aplicativo que permite obter dados e entregar informações para melhorar a produtividade de suas operações. A empresa parte agora para a expansão latino-americana, com operações no Paraguai e Argentina.

SOBRE O AUTOR

Fábio Cardo é economista de formação, atua em comunicação empresarial e empreendedorismo e é co-publisher do canal FoodTech da Fast Company Brasil.