E a grande novidade da indústria de tecnologia neste início de 2021 é a saída de Jeff Bezos, fundador da Amazon, do dia a dia da companhia. Ele continuará como chairman executivo da empresa, mas o título de CEO passará a Andy Jassy, CEO da Amazon Web Services, a partir do terceiro trimestre.

Mesmo depois de ter lido a carta de Bezos para os funcionários da empresa, você ainda deve ter perguntas sobre a mudança. Junto com “por quê?” e “por que agora?”, uma delas provavelmente é: “Quem é Andy Jassy?”

Aqui vão seis fatos sobre o homem prestes a assumir um dos cargos mais proeminentes da indústria.

1) ELE ERA O HERDEIRO PROVÁVEL

Embora a decisão de afastamento de Bezos do posto de CEO surpreenda, a escolha de Jessy como sucessor não é. Depois que Jeff Wilke, CEO do consumer business da Amazon, anunciou que estava saindo da empresa no primeiro trimestre deste ano, Jassy passou a ter um caminho claro para o topo uma vez que Bezos decidisse sair. Teria sido uma surpresa maior se a Amazon tivesse contratado alguém de fora para o cargo.

2) ELE É TÃO “AMAZONIAN” QUANTO SE PODE SER

Mais do que a maioria das gigantes de tecnologia, a Amazon ama seus mantras corporativos, focados em questões como a importância de ser obsessivo com o consumidor, manter a humildade e tentar coisas ambiciosas que podem vir a falhar. Jassy, que entrou na empresa em 1997, incorpora a mensagem tanto quanto Bezos quando se trata de creditar o sucesso da Amazon às crenças que a companhia segue.
“Um dos aspectos culturais mais importantes dentro da Amazon e da AWS é que as pessoas querem experimentar. Queremos ter uma taxa de experimentação por unidade tão alta quanto for possível e, ao mesmo tempo, não perder tempo em coisas que não temos chance. Queremos ser informados por consumidores que nos dizem o que importa para eles e tentar fazer invenções para esses clientes. E se as coisas não funcionarem, ninguém é demitido por causa disso”.

3) ELE JÁ É RESPONSÁVEL POR UMA BOA FATIA DA AMAZON

A AWS, que oferece um combo de serviços de web para negócios de todos os tamanhos, é um enorme driver de receita para a Amazon: trouxe US$ 12,7 bilhões no último trimestre. E, mais importante, é uma máquina de lucros responsável por 52% dos lucros totais nos últimos três meses (um ano atrás, esse índice era de 75%). Todos os experimentos dos quais a companhia se orgulha mesmo quando falham? Estão sendo subsidiados pela AWS de Jassy.

4) ELE É LOW-PROFILE

Enquanto Bezos é um dos rostos mais familiares do mercado no último quarto de século, talvez você nunca tenha visto Jassy a menos que tenha ido à conferência anual da AWS, a Re:Invent. E isso não somente porque a venda de serviços para a web não é o negócio mais glamouroso. Um perfil de Jassy feito pela The Information em 2019 afirma que Jassy não nasceu como vendedor. Anos atrás ele ficava reticente em ir a reuniões com investidores como os CEOs da Fortune 500.

5) ELE ACREDITA EM ESMIUÇAR DETALHES

Em 2017, Jassy me disse que grupos da AWS têm muita independência. Mas também salientou que sabe o que acontece em cada parte da organização. “Um dos erros que líderes cometem às vezes é que se distanciam muito dos detalhes dos negócios. E a realidade é que todo negócio sempre terá coisas que funcionam e coisas que não funcionam. E tudo bem. Dá para consertar coisas que não funcionam, contanto que você as veja. E dá para corrigi-las relativamente rápido. Mas se ficar muito longe dos detalhes e não tem os mecanismos certos para inspecionar o que está acontecendo, descobrir problemas que estão acontecendo de seis a 12 meses torna mais difícil a correção, porque o buraco é mais embaixo”.

6) ELE JÁ FOI VENDEDOR

Desde 2003 Jassy devota sua atenção aos serviços para web. Isso parece distante do sucesso icônico da Amazon como loja para bens físicos de todo tipo. Mas no começo de sua carreira na Amazon, ele foi responsável por vender produtos. Em 2001, quando era diretor de música da companhia, falou com a Billboard sobre uma promoção especial conectada a uma série de Ken Burns sobre a história do jazz. “Poucas pessoas são qualificadas para vender CDs, DVDs e livros como a gente”, disse ele. Mais uma vez, ele será responsável pela venda de mídia – mesmo que seja streaming – e de qualquer outro item que a Amazon queira nos vender.

SOBRE O AUTOR

Harry McCracken é editor de tecnologia da Fast Company baseado em San Francisco. Em vidas passadas, foi editor da Time, fundador e editor da Technologizer e editor da PC World. Mais