Esquema de trabalho híbrido levanta o moral da equipe e os lucros da empresa

Pesquisa sugere que implementar um esquema de trabalho remoto por dois dias na semana fez com que as taxas de demissão caíssem 35%

Crédito humanmade/ iStock

Henry Chandonnet 4 minutos de leitura

Enquanto muitas organizações continuam discutindo sobre o trabalho remoto, um novo estudo pode encerrar essa questão de uma vez por todas.

A pesquisa, publicada na revista "Nature", sugere que implementar um esquema com dois dias de trabalho virtual por semana reduziu as taxas de demissão e aumentou a satisfação dos funcionários. Além disso, as promoções, as pontuações por desempenho e a produtividade dos trabalhadores não foram afetadas. 

Os pesquisadores coletaram amostras dos funcionários da Trip.com, multinacional de tecnologia com sede em Xangai, a maior metrópole da China. Com base na data de nascimento, as pessoas foram distribuídas em um cronograma totalmente presencial ou híbrido, o que permitiu a obtenção de resultados aleatórios.

Embora os resultados de desempenho tenham sido consistentes entre os dois grupos, os funcionários em regime híbrido tiveram taxas de retenção significativamente mais altas.

A reação da empresa foi: "como não amar?", contou Nicholas Bloom, professor de economia em Stanford e coautor do artigo. "Não houve efeitos negativos sobre o desempenho. Talvez até tenhamos economizado um pouco de espaço, fazendo com que as pessoas trabalhem em casa dois dias por semana, enquanto observamos uma enorme redução nas taxas de demissão."

REGIME HÍBRIDO E SATISFAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS

Depois de analisarem os dados randomizados, os pesquisadores descobriram que a taxa de demissão dos funcionários híbridos diminuiu em 35%, em comparação com os que trabalhavam em esquema totalmente presencial. Essa descoberta está alinhada com pesquisas anteriores, que sugerem que o trabalho híbrido promove uma melhor cultura de escritório. 

O novo estudo de Bloom vai além, detalhando os efeitos positivos específicos que o esquema de trabalho híbrido tem em diferentes grupos, incluindo aqueles que precisam se locomover por longas distâncias e os que não ocupam cargos de liderança. 

Créditos: SDI Productions/ Misha Shutkevych/ iStock,

Por exemplo, quando as mulheres foram solicitadas a trabalhar em horário híbrido, houve aumento significativo na retenção. Bloom observa que essa constatação talvez se deva ao fato de o modelo híbrido ter sido inicialmente apresentado como opcional, o que "fez com que as mulheres tivessem menos probabilidade de se voluntariar".

"Na verdade, é muito importante impor esses tipos de políticas para todo mundo", diz Bloom. "Se não for assim, o medo é que algumas pessoas pensem que, se elas forem voluntárias para trabalhar em casa dois dias por semana, isso será visto pelo chefe como uma espécie de sinal de que não estariam tão motivadas. Então, elas ficam caladas e não se oferecem para aceitar o híbrido, mesmo que queiram, e acabam se demitindo e mudando de emprego." 

Independentemente da categoria dos trabalhadores, Bloom diz que sua conclusão é clara: o trabalho híbrido melhora a experiência dos funcionários e aumenta as taxas de retenção. E isso significa que os empregadores não vão precisar gastar recursos adicionais em esforços onerosos de contratação.

TRABALHO HÍBRIDO E DESEMPENHO

Ao estudar a produção dos funcionários, os pesquisadores não encontraram nenhuma mudança significativa no desempenho entre aqueles que foram designados para um modelo de trabalho híbrido.

No decorrer do estudo, a percepção coletiva das lideranças sobre o trabalho híbrido passou de negativa para positiva.

O trabalho remoto não afetou as notas que os funcionários receberam por seu desempenho, nem a taxa de recebimento de promoções e nem mesmo a quantidade de linhas de código que os programadores escreveram. Independentemente da métrica, os funcionários híbridos obtiveram a mesma pontuação que seus colegas presenciais.

Ainda assim, Bloom diz que não é um defensor do trabalho totalmente flexível. Ele recomenda trabalhar remotamente aproximadamente dois dias por semana.

"É muito fácil saber se alguém está se dedicando ao trabalho três dias por semana", explica Bloom. "Isso se torna muito óbvio e rápido. Você simplesmente não precisa que alguém esteja presente cinco dias por semana para poder trabalhar com a pessoa de forma eficaz."

O HÍBRIDO É LUCRATIVO

Embora maximizar a satisfação dos funcionários possa ser uma meta altruísta, Bloom adota uma abordagem mais voltada para os negócios: os modelos híbridos não são bons apenas para os trabalhadores, mas também para os negócios. 

Os benefícios financeiros do esquema de trabalho híbrido foram demonstrados nos dados de Bloom. No decorrer do estudo, a percepção coletiva das lideranças sobre o trabalho híbrido passou de negativa para positiva. 

"O recado que ficou claro para empregadores e empresas é que o trabalho híbrido é lucrativo", diz Bloom. "Não estou promovendo um movimento social nesse caso. Não estou contando uma historinha interessante para o mundo. Estou vendendo uma ideia de como fazer sua empresa ganhar mais dinheiro."


SOBRE O AUTOR