Que tal usar um pouco de humor na próxima entrevista de emprego?

O senso de humor tem o poder de deixar as pessoas mais à vontade e ajuda o candidato a se diferenciar dos concorrentes

Crédito: Juan Encalada/ Unsplash

Stephanie Vozza 5 minutos de leitura

Contar uma piada durante uma entrevista de emprego pode ser muito arriscado – a não ser, é claro, que você esteja se candidatando a uma vaga para comediante. Mas outras formas de humor podem, sim, ser boas ferramentas para se destacar em relação aos demais, afirma Cheryl Hyatt, cofundadora da Hyatt-Fennell Executive Search.

“A pessoa não precisa nem contar piadas de tiozão, nem ter talento nato para comédia. Mas o senso de humor tem o poder de deixar entrevistado e entrevistador mais à vontade”, diz ela.

“Se o candidato está qualificado para o cargo – e espera-se que esteja, já que chegou até a entrevista – as respostas devem fluir facilmente. O mais importante passa a ser, então, criar um vínculo com o entrevistador. O humor pode ajudar nisso, fazendo as pessoas se sentirem relaxadas”, explica.

 A chave é a pertinência, diz Karen Leal, especialista em desempenho da Insperity, fornecedora de soluções de RH. “O objetivo não é entreter o entrevistador, mas adicionar pitadas de humor sobre uma experiência que seja relevante para o trabalho que você deseja”, diz ela.

Mas nem todo tipo de humor serve. É importante seguir algumas orientações:

 1. Evite assuntos polêmicos

Humor controverso – sobre política, religião, gênero ou aparência física – está fora de questão em uma entrevista. Na verdade, piadas inadequadas ou politicamente incorretas provavelmente farão com que seu nome seja riscado da lista de possíveis candidatos para qualquer cargo.

Fazer de outra pessoa o alvo de uma piada passa uma péssima impressão.

“É um tiro no pé fazer suposições sobre as origens e crenças das outras pessoas ou sobre o que elas vão achar engraçado”, diz Cheryl Hyatt. “Simplesmente não é apropriado.”

Evite também fazer uma piada usando outra pessoa como escada.  Se você está falando sobre um ex-colega de trabalho, um membro da família ou pessoa conhecida que não está presente, o humor nunca deve ser covarde.

“Se o entrevistado faz de outra pessoa o alvo de uma piada, isso passa uma péssima impressão”, diz ela. “É uma estratégia barata, que pode acabar com a sua reputação. Do ponto de vista do entrevistador, eles podem se perguntar: será que, algum dia, essa pessoa vai fazer uma piada sobre algo que eu fiz, pelas minhas costas?”.

 2. Esteja disposto a rir de si mesmo

 Uma boa maneira de usar o humor é mostrando que você não se leva muito a sério. “As piadas não devem ser autodepreciativas, mas adotar um tom de brincadeira bem-humorada sobre seus traços ou sua experiência reflete uma autoconsciência saudável”, diz Cheryl.

“Um candidato pode começar a piada mais ou menos assim: ‘quando decidi concorrer a essa vaga, lembrei de uma coisa que aconteceu comigo algumas semanas atrás…’. Com um pouco de humor, é possível juntar pequenas narrativas às informações sobre seu trabalho.”

 Uma boa maneira de usar o humor é mostrando que você não se leva muito a sério.

Ninguém quer ser considerado pelos recrutadores como um idiota, mas todo mundo espera que eles identifiquem a capacidade de reconhecer próprios fracassos e rir de si mesmo.

Tente usar temas de humor que sejam relevantes para sua área ou indústria, diz Jill Gugino Panté, diretora do Centro de Serviços de Carreira Lerner, da Universidade de Delaware.

“Por exemplo, uma piada clássica quando as pessoas estão tendo problemas com o computador é pedir aos usuários que desliguem e liguem o equipamento”, diz ela. “Talvez essa piada batida seja algo que você consiga amarrar em um exemplo que destaca suas habilidades e qualidades.”

 3. Conheça bem o seu público

Leia as expressões faciais e a linguagem corporal para determinar se (e quanto) humor é apropriado durante a entrevista, diz Sid Upadhyay, cofundador e CEO da WizeHire, plataforma de contratação para pequenas empresas.

“Deixe o entrevistador definir o tom”, aconselha. “Lembre-se que o entrosamento é tudo. Escolha com sabedoria os momentos certos para usar o humor de maneira que ele construa a conexão com o ouvinte, ajude a sustentar seus argumentos ou conduza uma transição natural para outros assuntos.”

Se os entrevistadores são super sérios e se você tentou

Ser engraçadinho demais pode levar o entrevistador a achar que o candidato não está levando a coisa a sério.

aliviar a o tom conversa e isso não mudou o comportamento deles, não insista nas brincadeiras, diz Jill Panté. “Mimetize os traços e os comportamentos dos entrevistadores, porque isso mostrará a eles que você está prestando atenção”, diz ela.

Ser engraçadinho demais pode levar os entrevistadores a pensar que o candidato não está levando a coisa a sério, o que pode afetar seu status de profissional maduro, diz Karen Leal.

 “É importante manter a consciência e ser sensível ao tom e à dinâmica da sala de entrevistas”, diz ela. “Para compor uma grande empresa, é preciso todo tipo de gente. Se você não é alguém que naturalmente costuma brincar, não deve forçar a barra. Afinal, a autenticidade é o melhor caminho para conquistar um emprego.”

4. Dê a volta por cima caso a piada não funcione

É possível que seu senso de humor não seja apreciado pelo entrevistador. “Geralmente, dá para perceber a maneira como os olhos do interlocutor reagem, mesmo se estiver falando com ele via Zoom. Dá para notar quando você disse algo que provavelmente não caiu bem”, aponta Cheryl.

Se a piada não caiu bem, o importante é desfazer o constrangimento imediatamente.

Embora dependa da piada que contou, é possível se recuperar. O importante é desfazero constrangimento imediatamente. “Você pode se corrigir, dizendo: ‘Desculpe se ofendi alguém. Não foi, de modo algum, a minha intenção. Estou nervoso(a) e queria nos deixar um pouco mais à vontade’”, sugere ela.

“É importante reconhecer que talvez a piada não tenha saído do jeito que você imaginou. As pessoas vão te perdoar se você estiver disposto a assumir a responsabilidade e pedir desculpas antecipadamente. Essa é outra característica importante, a autoconsciência.”

Entrevistas de emprego são a hora de demonstrar que você é qualificado e experiente, e que vai dar conta do trabalho para o qual está se candidatando. Também é um bom momento para mostrar que será um ótimo colega de trabalho – alguém com quem o entrevistador gostaria de conviver.

 “Você precisa mostrar que é gente boa desde o início da uma entrevista, porque isso define o tom”, diz ela. Quando há um pouco de humor no ambiente, cria-se um vínculo mais forte, em vez de apenas uma troca impessoal de perguntas e respostas entre entrevistador e entrevistado. Você mostra que é um ser humano.”


SOBRE A AUTORA

Stephanie Vozza escreve sobre produtividade e carreira na Fast Company. saiba mais