Já era hora de ficarmos assustados com o impacto ambiental do Halloween.

Estima-se que consumidores americanos gastarão US$ 3,32 bilhões em fantasias de Halloween este ano. A maioria delas serão fantasias baratas e descartáveis vendidas por varejistas como a Spirit Halloween e o Walmart. Cerca de 83% dos materiais utilizados na confecção dessas fantasias são derivados de plástico e muitos serão jogados fora no dia 1º de novembro. No Reino Unido, um estudo descobriu que 7 milhões de fantasias são jogadas fora por ano – o equivalente a 83 milhões de garrafas de plástico. Nos EUA, que tem cinco vezes a população do Reino Unido e onde o Halloween é um feriado mais popular, esse número é significativamente maior.

A boa notícia é que é possível ter um Halloween repleto de diversão sem esse desperdício todo. Na verdade, pode-se fazer como nos Halloweens do passado, quando fantasias descartáveis não existiam. “Quando eu era criança, fazíamos nossas fantasias ou as comprávamos em brechós”, diz Aja Barber, autora do Consumed: The Need for Collective Change. “Em um ano, eu quis me fantasiar de presente, então minha mãe e eu fomos de supermercado em supermercado procurando por uma caixa grande. Ainda tenho boas lembranças desse momento juntas.”

Eu entendo o apelo de comprar uma fantasia pronta. Para pessoas como eu, que não são muito criativas e não têm nenhuma habilidade artesanal, a ideia de fazer uma fantasia do zero pode ser assustadora. Mas, felizmente, hoje já há a quem recorrer. Quatro anos atrás, Tiffany Beveridge, diretora de conteúdo da startup de roupas infantis Primary, lançou um serviço de fantasias de Halloween que ajuda pessoas a criar suas próprias com roupas que já possuem (e que podem voltar a ser roupas normais após o feriado). A empresa tem uma central de ajuda por telefone e fornece um endereço de e-mail através do qual é possível pedir orientação sobre como criar fantasias – para adultos e crianças – do zero.

Aqui vai um guia passo-a-passo de como criar uma fantasia mais ecológica este ano.

DÊ TEMPO A VOCÊ MESMO

Parte do apelo da fantasia pronta é que você pode comprar uma no último minuto. Mas Beveridge diz que fazer sua própria fantasia não é tão demorado quanto parece. Muitas pessoas conseguem fazer uma fantasia incrível em apenas meia hora; porém, trajes mais elaborados podem levar um dia inteiro. No entanto, é necessário algum planejamento para descobrir o que você precisa. E de forma mais ampla, vale a pena repensar todo o processo. Você deve encarar isso como algo divertido e relaxante, que pode ser muito mais agradável do que se aventurar em lojas procurando por uma fantasia pronta. “Nada supera a sensação de realização quando se consegue fazer uma fantasia com as próprias mãos”, diz Beveridge.

Também é importante lembrar que a perfeição não é o objetivo. Beveridge fala que o objetivo é se divertir e se aproximar da pessoa ou objeto que você está tentando criar. E lembre-se, fantasias compradas em lojas também não são tão boas. Muitas são brega e realmente não se parecem com o personagem que estão tentando representar.

O CÉU É O LIMITE

A maioria dos varejistas estoca um conjunto de fantasias populares, e é por isso que em qualquer ano você verá muitas bruxas e Homens-Aranha. Beveridge diz que outro benefício de fazer sua própria fantasia é que ela pode ser única.

Você pode fazer um brainstorm para ter ideias sobre como você quer se expressar: Você quer parecer assustador ou engraçado? Você quer uma fantasia atual (como se fantasiar de vacina contra covid-19) ou algo clássico (como Scooby-Doo)? Se você tem amigos e familiares que também querem se fantasiar, vocês podem pensar em uma fantasia em grupo. Você é fã da série Between Two Ferns? Você pode ir fantasiado de Zach Galifianakis e dois amigos seus podem ir de samambaias. Ou também, pode preferir fantasias em grupo mais variadas. Por exemplo, você e seus amigos podem se fantasiar inteiramente de verde e ser a Gangue Gangrena de “As Meninas Superpoderosas”.

Se você está procurando por inspiração, há muitos lugares onde encontrar. Você pode pesquisar por “Fantasias para Halloween DIY” no Pinterest e Instagram. A Primary também tem um catálogo de fantasias DIY (Do inglês “Do it yourself” – faça você mesmo) em seu site.

FOCO NA REDUÇÃO DE RESÍDUOS

Mesmo criando sua própria fantasia do zero, é possível gerar resíduos se você estragar roupas perfeitamente boas ou modificá-las de uma forma que não possa reutilizá-las. Para evitar isso, seja estratégico sobre como você vai confeccionar sua fantasia. Beveridge recomenda usar uma roupa monocromática como base; por exemplo, uma camiseta e legging em uma única cor, que se possa customizar. Se por acaso não tiver essas peças no seu armário, é possível comprá-las e usá-las novamente no futuro.

Ao invés de transformar permanentemente essas roupas, use fita adesiva dupla-face para suas customizações, como feltro colorido, papelão, pompons ou tule. Se você e seu grupo de amigos quiserem se fantasiar no Halloween de conjunto de giz de cera, você pode se vestir com cores primárias diferentes e, então, usar fita dupla-face para escrever “giz de cera” ou “Crayola” (marca famosa) em papel preto. Para incrementar, use chapéus de festa pontudos ou faça cones de papelão. Se vocês quiserem ser um grupo de condimentos, por exemplo, podem se vestir de vermelho, amarelo e verde e, depois, imprimir logotipos do ketchup, mostarda e pepino em conserva da Heinz em uma impressora colorida,  e colar na camiseta. Acho que deu para entender a ideia.

SE VOCÊ SIMPLESMENTE NÃO CONSEGUE

Se você simplesmente não consegue fazer sua própria fantasia, não se desespere. “Existem tantas formas que não envolvem comprar uma pronta em alguma loja”, diz Melissa Breyer, diretora editorial do site de sustentabilidade Treehugger. “E, ainda assim, você pode passar um ótimo feriado com fantasias divertidas.” Ela recomenda olhar sites de artigos usados como o Facebook Marketplace. Como alternativa, procure uma fantasia de segunda mão ou retrô em lojas artigos usados ou brechós. Por fim, se você realmente deseja causar boa impressão, pode alugar uma fantasia em um site como Halloween Costumes, em vez de comprar uma.

LEMBRE-SE, POUCO JÁ AJUDA

Dada a imensidão de resíduos produzidos a cada Halloween, pode parecer que tentar ser mais sustentável não vale o tempo e esforço. “Há todo um complexo industrial de Halloween que empurra seus produtos goela abaixo nos consumidores”, diz Breyer. “É preciso resistência para ir contra isso.”

Mas vale a pena o esforço, incentivam Breyer e Barber. Por um lado, você está reconhecendo e mostrando que é possível – e até divertido – deixar de lado fantasias descartáveis e baratas. “Você pode não fazer a diferença individualmente, mas quando centenas, milhares, e, eventualmente, milhões de pessoas se opuserem à máquina do consumo excessivo, poderemos fazer a diferença”, conclui Barber.

SOBRE A AUTORA

Elizabeth Segran é redatora sênior da Fast Company. Ela vive em Cambridge, Massachusetts.