POR REDAÇÃO FAST COMPANY BRASIL

O conceito de bem-estar é caro para a Natura. Assim como o de inovação.  A companhia tem um programa de startups desde 2016 e dentre seus projetos floresce uma iniciativa que une os dois conceitos e que surgiu como proposta para ajudar no combate aos efeitos da pandemia. É a Naomm, uma startup voltada para a saúde emocional. Por meio dela, é possível ter acesso a serviços que podem trazer equilíbrio ou promover alívio para uma série de situações que geram tensão e stress.

A Naomm conecta clientes a uma curadoria de terapeutas de Práticas Integrativas e Complementares, as chamadas PICS. Como explica o Ministério da Saúde, o nome se refere a um conjunto de recursos terapêuticos que se baseiam em conhecimentos tradicionais como ioga, acupuntura, shantala, reiki e aromaterapia – procedimentos específicos que são oferecidos pelo SUS, por exemplo. Além de ajudar a melhorar a saúde emocional, são terapias indicadas na prevenção de males como hipertensão ou são usadas como tratamentos paliativos para algumas doenças crônicas.

Na plataforma, as PICS são apontadas como práticas que “enxergam cada indivíduo como um sistema único de ser e de se expressar”. Por isso, a pessoa é tratada de forma integral, com o terapeuta dando atenção não apenas a sintomas, mas também às causas. Certas terapias auxiliam em tratamentos psicológicos. E em grandes hospitais, bem como no SUS, elas podem complementar abordagens da medicina convencional.

(Crédito: Pixabay/ StockSnap)

Para explicar essa história, é preciso dar “dois passinhos para trás”, como conta Luciano Abrantes, CTO de Inovação Digital da Natura & Co América Latina. “Nós somos uma rede antes do surgimento das redes sociais”, diz. A Natura atua com consultoras que chegam a quase 2 milhões de pessoas na região. Com tamanha população, a quantidade de informações que trafega entre essas representantes é intensa. E, por isso, a Natura investiu fortemente em digitalização. Não apenas para gerir esses dados como também para conhecer melhor as consultoras.

Esse trabalho permitiu perceber quão importante era proteger sua rede de colaboradores. A plataforma de serviços digitais já existia antes da pandemia, mas esse processo foi reforçado e acelerado para garantir que as consultoras pudessem manter seus negócios. Se pelo lado da tecnologia a empresa pôde se cercar, o isolamento imposto pela Covid-19 demonstrou que havia outro lado que também merecia atenção. A ideia de bem-estar bem, um mantra da companhia, deveria incluir mais um tema que ganhava relevância: a saúde física e mental.

No ano passado, a Natura desenvolveu um trabalho para aumentar o bem-estar dos colaboradoras. Existe um portal do bem-estar com uma rede de apoio. Há até mesmo serviços voltados para violência doméstica (um problema que cresceu no Brasil na pandemia) e para atendimento psicológico. Há pesquisa de pulso feita com o público interno por meio de uma startup e também há disponibilidade de material básico de escritório para dar mais assistência à rede de consultoras.

Outra frente foi exatamente desenvolver a Naomm, que funciona como teleatendimento, via web. Ou seja, é uma plataforma digital que oferece cuidado de uma maneira simples. Mas que tem uma forte curadoria para garantir a qualidade dos serviços. Estão disponíveis atualmente 40 diferentes práticas, que são cobradas conforme o tipo de terapia. Elas podem ser conhecidas pelo site ou pelo perfil da plataforma no Instagram ou no LinkedIn.

Não é o primeiro produto focado em bem-estar mental da Natura. Desde setembro de 2018, a empresa dispõe de um aplicativo de meditação, que pode ser baixado para Android ou iOS. Em 2019, a Meditação Natura, um serviço gratuito, passou a ser uma skill global na Alexa. Com isso, a Natura foi a primeira empresa brasileira a lançar uma experiência global para a Alexa. Ela foi desenvolvida 100% pela companhia, sendo o primeiro passo da Natura na tecnologia de voz.

(Crédito: Divulgação)

EMBRIÃO DE IDEIAS

A origem da Naomm está ligada um projeto realizado em 2018. Naquele ano foi lançado o Programa CorageN, criado para atrair talentos empreendedores. Ele substituiu um programa de trainees, que acabava barrando candidatos por causa de regras tradicionais, como domínio de idiomas, limite de idade e mesmo formação por determinadas instituições. Com isso, novos perfis entraram para o programa, que durou 20 meses e se tornou um embrião de ideias inovadoras. “Algumas eram incrementais, mas outras eram disruptivas”, lembra Abrantes.

A Naomm estava entre essas ideias. Eles perceberam que a proposta poderia perder sua essência se não fosse transformada em uma startup. Desse modo, o conceito pode evoluir até se configurar como a plataforma que é hoje. “Foi uma decisão acertadíssima”, celebra o executivo.

Assim, a Naomm foi incubada pelo Natura Startups, que funciona como porta de entrada de inovação aberta na companhia, conectando empreendedores a desafios de negócio. O programa já analisou mais de 5 mil startups, interagiu com mais de 1000, realizou testes com mais de 100 e firmou parceria com mais de 40.

“Trabalhamos no modelo de inovação aberta há mais de 20 anos e temos no ecossistema inovador um grande aliado para criar soluções aos desafios de negócio e oferecer serviços e produtos disruptivos que gerem impacto positivo para as pessoas e o meio ambiente. Startups como a Naomm nos ajudam a disseminar o propósito da Natura de levar beleza e bem-estar por meio das relações”, declara Abrantes.

A plataforma dedicada à curadoria de PICS foi estruturada em 2020, impulsionada pela pandemia. Ela registra atualmente mais de 2 mil sessões e 2 mil usuários cadastrados. As sessões podem ser agendadas pelo site conforme a busca do cliente. Para encontrar uma terapia, interessados se deparam com blocos que orientam possíveis alternativas. As propostas vão desde “estar bem com o outro” a “recuperar o ânimo”.

(Crédito: Divulgação)

Entre as PICS que podem ser acessadas pela Naomm estão opções conhecidas como ioga e meditação. Mas há também alternativas que podem provocar estranhamento à primeira vista. É o caso da terapia de som,  um método de relaxamento que usa taças tibetanas que, ao vibrar suavemente em partes do corpo,  emitem frequências que agem sobre as células. A partir disso, pode-se experimentar alívio de dores musculares e melhora do sono. Outra abordagem é a Técnica de Liberação Emocional, ou EFT (do inglês Emotional Freedom Techniques), recomendada contra ansiedade. Ela está embasada na teoria de que “a causa de toda emoção negativa é a interrupção do fluxo energético do corpo”. Essa técnica propõe dissolver emoções negativas por meio de toques com os dedos em pontos trabalhados também pela acupuntura. A prática promete que a dissolução de “nós” emocionais e o reestabelecimento do equilíbrio físico e emocional.

SELEÇÃO DE PROFISSIONAIS

Tais abordagens podem, de fato, soar tão inusitadas para algumas pessoas que o cuidado na aprovação dos profissionais se torna parte essencial do serviço. A certificação dos terapeutas que fazem parte da rede da Naomm é, portanto, uma questão crítica. “Garantimos profissionais altamente qualificados, com um número de horas relevantes na prática e com formação em escolas reconhecidas do mercado das PICs. Essa curadoria cuidadosa se reflete no NPS [Net Promoter Score] de 93% de satisfação do nosso público com as consultas”, revela Laura Mariani, líder de qualidade e curadoria da plataforma.

De acordo com Laura, o serviço tem sido vantajoso também para os terapeutas integrados à rede. “Além de terem acesso à nossa base de clientes, incluindo pessoas físicas e empresas, contam com apoio para gestão de agenda e suporte técnico”, esclarece. Outro benefício é a oferta de descontos para sessões com outros profissionais da rede.