POR GIULIA LUCHETTA

O vencedor do prêmio Nobel de Economia de 2002, Daniel Kahneman, lançou nesta terça-feira, 18, o livro Noise: A Flaw in Human Judgment (Ruído: Uma falha no julgamento humano, em tradução livre). Um dos precursores da economia comportamental, o professor apresenta uma resposta pouco óbvia para a pergunta: por que as pessoas tomam decisões tão ruins?

A tese central do livro é a de que fatores inconscientes, acontecimentos aleatórios do cotidiano, disparidade entre palavras e ações, preconceitos e até mesmo o clima alteram significativamente a tomada de decisões. Os ruídos, como Kahneman os chama, afetam particularmente profissionais como médicos, juízes e consultores financeiros, cuja qualidade do julgamento pode ter impacto duradouro ou permanente na vida das pessoas.

A obra, escrita em parceria com Cass Sunstein, professor de direito em Harvard e de estratégia na escola de negócios na HEC, Paris Olivier Sibony, também fala sobre como a inteligência artificial (IA) é à prova de ruídos e avança quase de maneira exponencial (ao contrário dos seres humanos que são lineares).

Segundo Kahneman, a liderança humana será vencida pela IA. “Não chegaremos nem perto”, disse ao jornal britânico The Guardian. “Como as pessoas vão se ajustar a isso é um problema fascinante”, completou o economista israelense. 

SOBRE A AUTORA

Giulia Luchetta é repórter da Fast Company Brasil.