Tenho dois HomePod Mini na minha casa. E, embora não sejam os dispositivos de voz mais inteligentes que experimentei – os da Amazon e os do Google são excelentes – são os melhores que já usei. O HomePod Mini — ainda sem previsão de lançamento no Brasil — pode ser muito atrativo para quem já está habituado ao ecossistema da Apple por três motivos:

1. ALTO-FALANTE MINÚSCULO, SOM GRANDE

Quando se trata de áudio, não me importo com minúcias do tipo “ressonância dos graves”, “tons limpos” ou “altas frequências nítidas”. Na verdade, essa é uma das razões pelas quais nunca adquiri um HomePod original. O robusto e pequeno HomePod, do tamanho de uma pequena lixeira, está ótimo.

Para meus ouvidos, o som do HomePod Mini é fenomenal em comparação a outros alto-falantes de preço semelhante que usei. Mesmo com o volume em apenas 40%, o som do dispositivo preenche minha sala de estar de uma forma consistente.

Na verdade, o som me surpreendeu quando comecei a fazer streaming de músicas. Não é muito diferente da qualidade de um HomePod original, mas ficou duas vezes do que com as caixas de som sem fio de preços acessíveis aos quais estava acostumado. Depois de ouvir o HomePod Mini por apenas alguns dias, quando voltei para meu JBL – e até mesmo para as caixas de som do meu MacBook Pro de 16″ (que são para um notebook) – ficou nítida a diferença em relação à ótima qualidade do HomePod Mini.

Além disso, a Apple projetou o HomePod Mini para funcionar como caixas complementares à Apple TV. Se você possui uma Apple TV HD ou Apple TV 4K, pode usar dois HomePod Minis com o dispositivo para fazer um par estéreo. O som fica incrível.

2) A SIRI SE TORNA ÚTIL

Quando recebi os HomePod Minis, tinha certeza de que os usaria principalmente para ouvir música e melhorar minha experiência com a Apple TV. Mas logo percebi que estava usando a Siri mais do que nunca – recorri a ela mais vezes na semana passada do que nos últimos cinco anos. O motivo: quando você está no conforto e na privacidade da sua própria casa, não se sente constrangido em se envolver com a assistente de voz da Apple como quando está no meio da rua ou no escritório com o iPhone.

E, aliás, a Siri no HomePod Mini reconhece bem mais minhas solicitações do que a Siri no iPhone. Talvez pelo fato de o HomePod Mini estar em um ambiente mais silencioso, geralmente na sala e não na rua. É provável também que tenha a ver com o design do microfone do produto em si.

APRENDI QUE NÃO PRECISA GRITAR O PEDIDO À SIRI

Não vou entrar nos detalhes técnicos dos microfones do HomePod Mini, mas tem quatro deles. Três são projetados com recursos avançados de processamento de sinal que permitem que o dispositivo detecte “Hey Siri” de forma confiável, não importa onde você esteja na sala. O quarto microfone é dedicado ao cancelamento de eco, o que ajuda o device a ouvir sua solicitação mesmo se a sala estiver barulhenta ou se o próprio HomePod Mini estiver tocando música. Com o passar dos dias, aprendi que não precisava gritar meus pedidos à Siri para garantir que fossem ouvidos. Ser capaz de usar seu tom natural e volume de fala torna a interação com a Siri muito mais orgânica e natural do que no iPhone.

Embora eu use a Siri para controlar a reprodução de música na maioria das vezes, agora também estou recorrendo cada vez mais a ela para perguntar como está meu dia (“O que está em minha programação?”) e pedindo para ela me dar uma atualização sobre notícias, mercado de ações e clima. E para vocês que perdem seu iPhone em casa, o HomePod Mini pode salvar a vida. Quando não acho meu iPhone, digo: “Ei Siri, onde está meu iPhone?”, e ela manda um alerta de áudio alto para o meu iPhone perdido no meio das almofadas.

Por esses motivos, a Siri finalmente parece uma IA verdadeiramente capaz – e vive dentro de casa e não só no telefone. E por falar em casa…

3) É UM CENTRO DE COMANDO DA CASA INTELIGENTE

Nunca fui um cara adepto da “casa inteligente”. Sempre me perguntei, por exemplo, por que preciso que meu telefone acenda minha lâmpada quando posso simplesmente ligar o interruptor.

Mesmo assim, configurei uma lâmpada Nanoleaf Essentials para testar com o HomePod Mini. E cara, mudei minha opinião sobre tecnologia doméstica inteligente desde então. Não preciso mais usar meu iPhone como controle remoto para controlar a tecnologia inteligente. O HomePod Mini foi projetado para funcionar como um centro de controle para cada dispositivo da casa, permitindo que você controle tudo com a voz. Parece mágica agora quando digo: “Ei, Siri, acenda a luz” e ela acende –não é necessário apertar botão.

O HomePod Mini me permitiu até abandonar outro controle remoto – o da minha televisão. Como o device e a Apple TV estão integrados à plataforma de casa inteligente HomeKit, da Apple, assim que você liga o HomePod Mini, ele detecta a Apple TV como um dispositivo inteligente. Agora posso simplesmente dizer “Ei, Siri, ligue a TV” quando chego em casa.

Acredite: a maioria das pessoas provavelmente se sentirá atraída pelo HomePod Mini por seus recursos musicais – mas assim que o experimentarem com um acessório doméstico inteligente, vão querer equipar a casa.

ENTÃO, VOCÊ DEVE ADQUIRIR UM MINI HOMEPOD?

Antes do HomePod Mini, os usuários da Apple tinham de desembolsar muito dinheiro se quisessem um alto-falante doméstico inteligente que se encaixasse facilmente no ecossistema de dispositivos e serviços da empresa. Para muitos, o preço (cerca de R$ 1 mil) ainda é muito alto – especialmente para pessoas como eu, que não precisam do melhor sistema de áudio. Esse alto preço inicial é o motivo pelo qual tantos usuários da Apple recorreram à Amazon ou ao Google para obter caixas de som inteligentes.

Além dos recursos que já mencionei, o device possui uma tonelada de outros interessantes, como integração com o CarPlay da Apple, chamadas FaceTime Audio, o novo sistema de mensagens de intercomunicação entre dispositivos, além de apoio aos serviços de streaming de terceiros.

Por tudo o que faz e pela qualidade com que o faz, o HomePod Mini poderia ter preços mais elevados. Mas o preço que a Apple colocou diz muito sobre como a empresa vê esse dispositivo na vida dos usuários: não apenas em suas casas, mas em todos os cômodos de suas casas.

SOBRE O AUTOR

Michael Grothaus é romancista, jornalista e ex-roteirista. Seu romance de estreia, EPIPHANY JONES, já saiu pela Orenda Books. Você pode ler mais sobre ele em MichaelGrothaus.com