Como mãe de uma criança de 5 anos, minha casa está sempre lotada de brinquedos do McLanche Feliz que certamente vão para o lixo. Embora nada neste sentido pareça ter mudado desde minha infância, três décadas atrás, as coisas não precisam continuar assim.

Uma designer da Malásia reimaginou e criou um protótipo de McLanche Feliz feito inteiramente de materiais ecológicos, incluindo o brinquedo de brinde, que é de madeira. O design está longe de ser simples e monótono: é repleto de belas ilustrações com vários elementos divertidos e interativos. E ainda levanta uma questão: por que o McDonald’s não cria um McLanche Feliz como este?

(Crédito: cortesia de Regina Lim)

O McDonald’s afirma estar se esforçando para tornar o McLanche Feliz mais ecológico. Em setembro passado, a empresa de fast food anunciou que pretende reduzir o uso de plástico de combustível fóssil nos brinquedos do McLanche Feliz em 90% até 2025 (comparado a 2018). No entanto, continuará a utilizar plástico reciclado ou plástico feito de materiais renováveis, como o milho – ambos não biodegradáveis. Então, quando esses brinquedos forem inevitavelmente jogados no lixo, eles acabarão em aterros sanitários ou no oceano, onde não se decompõem, e onde acabam se quebrando em pequenos fragmentos. Esses microplásticos são consumidos na cadeia alimentar, envenenando animais e humanos. É um problema ambiental enorme se você considerar que o McDonald’s vende mais de um bilhão de brinquedos como estes por ano, em todo o mundo.

(Crédito: cortesia de Regina Lim)

Regina Lim, uma designer da Malásia, decidiu fazer algo a respeito. Enquanto criava o protótipo, ela se inspirou nas florestas do leste da Malásia, onde cresceu. Em seu design, as embalagens do McLanche Feliz, como as do McNuggets, batatas fritas e bebidas, apresentam imagens coloridas e incríveis da flora e da fauna. Embora seja apenas um protótipo, Lim diz que, no mundo ideal, o McDonald’s também faria suas embalagens com papel reciclado que, talvez, até mesmo trariam sementes de flores silvestres com elas.

O brinquedo do protótipo é um trio de árvores de madeira; e a embalagem também possui recortes de papelão de girafa, elefante e zebra, para que a criança possa montar um animal 3D. Como cereja do bolo, a própria embalagem se desdobra e desmonta, e apresenta uma história que conta como sementes crescem e se transformam em árvores. “Meus pais me colocaram em contato com a natureza quando criança e acho importante ensinar a próxima geração a valorizar esses espaços, que, infelizmente, estão morrendo”, ela conta. “Mas acho que é possível ensinar as crianças sobre sustentabilidade de uma forma divertida.” No futuro, Lim imagina a empresa criando embalagens que destacam seus esforços quanto a sustentabilidade, como o abastecimento de carne bovina e o apoio a jovens ativistas.

O McDonald’s não comentou especificamente sobre o design de Lim. Mas, quando entramos em contato, a empresa disse que estava repensando muitos aspectos do design dos brindes do McLanche Feliz, incluindo a criação de brinquedos que durem mais, para que as crianças queiram brincar com eles por mais tempo. No que diz respeito aos materiais desses brinquedos, a empresa afirma que a infraestrutura de resíduos e reciclagem varia muito de mercado para mercado. No entanto, afirma que está explorando ideias de como criar brinquedos com materiais reciclados e também de como reduzir a quantidade de materiais em cada um.

(Crédito: cortesia de Regina Lim)

Por enquanto, o McDonald’s diz estar comprometido em usar plásticos de fontes renováveis e recicladas, em parte para criar demanda por esses materiais. (É importante notar que alguns especialistas ambientais dizem que o plástico reciclado também é problemático, já que cria uma demanda por plástico virgem, incentivando diretamente a indústria de combustíveis fósseis.)

(Crédito: cortesia de Regina Lim)

Lim diz que a inspiração do projeto veio da observação de como grandes redes como o McDonald’s têm sido criticadas por consumidores por seus históricos ruins em relação ao meio ambiente. “As redes de fast food têm sido fortemente criticadas quanto a sustentabilidade, e o problema só está piorando”, afirma. “Mas, ao mesmo tempo, se grandes empresas como o McDonald’s fizerem pequenas mudanças, farão uma grande diferença, já que possuem enorme impacto e influência na sociedade.”

(Crédito: cortesia de Regina Lim)

Ao projetar a embalagem, ela se atentou a alguns pequenos ajustes que seriam fáceis para o McDonald’s fazer. Por exemplo, a embalagem icônica do McLanche Feliz tem um erro de design básico: nela, não cabe um refrigerante pequeno – uma das opções de bebida do lanche. Como resultado, a bebida geralmente é embalada em uma sacola ou porta-bebidas em separado. Desta forma, Lim redesenhou a embalagem para garantir que não se precise de nada extra, mantendo a estética instantaneamente reconhecível.

(Crédito: cortesia de Regina Lim)

Lim concorda que, mesmo que o Mc Donald’s fabricasse seus brinquedos com madeira em grande escala, seria improvável que eles fossem tão baratos quanto o plástico, que é um dos materiais mais baratos do mercado. (Dito isso, na França, o McDonald’s eliminou os brinquedos de plástico do McLanche Feliz no início deste ano, e os substituiu por brinquedos de papel, como figurinhas e livros para colorir; a empresa, porém, não tem planos de lançar algo semelhante nos EUA).

Ainda assim, a partir de uma perspectiva de negócios, Lim argumenta que um pequeno aumento de custo pode valer a pena para o McDonald’s. “Faz sentido a empresa investir parte de seus lucros para tornar o McLanche Feliz mais sustentável”, diz ela. “Isso também a ajudaria a conter todas as críticas que recebe e a melhorar a imagem de sua marca.”

SOBRE A AUTORA

Elizabeth Segran é redatora sênior da Fast Company. Ela vive em Cambridge, Massachusetts.