POR MARK WILSON

O cogumelo juba de leão é um dos incontáveis ​​milagres da natureza. Seus milhares de tentáculos brotam da madeira apodrecida, como se formassem um travesseiro de minúsculas estalactites. O juba de leão é uma boa fonte de fibra e proteína, e seu consumo pode até ajudar a evitar a demência. Ainda por cima, ele é delicioso e forma uma crosta marrom crocante quando é assado, oferecendo o sabor e a textura perfeitos para dar um toque final nas minhas receitas de rámen.   

Mas o juba de leão que eu tenho usado para cozinhar não foi cultivado em nenhuma fazenda. Ele foi cultivado aqui mesmo no meu porão, sobre uma antiga mesa de jogo, com a ajuda da Mella. Mella é uma caixa automatizada de cultivo de cogumelos, desenvolvida pelo laboratório FirstBuild, da GE Appliance. É como aqueles kits de café ou de cerveja artesanal, mas para criação de cogumelos –  só que o processo acaba saindo mais lento, mais caro e menos prático, por algumas razões que vou abordar.

As caixas da Mella acabaram de chegar às lojas por US$ 350,00. E, embora eu não recomende esse produto para a maioria das pessoas, ele é único e vale a pena conhecer melhor. Afinal, ele traz uma amostragem das estratégias que a GE Appliance tem em vista (agora que está sob a propriedade da empresa chinesa Haier), além de ser um ótimo exemplo de como soluções de engenharia precisam sempre do toque de um designer.

(Crédito: FirstBuild)

DESEMBALANDO ESSA IDEIA

Cogumelos são um negócio próspero: a projeção é que atingirá US$ 63 bilhões até 2027. Eles estão definitivamente surfando a crista de uma onda que abrange de novos cafés com adição de cogumelos (que prometem fornecer energia sem gerar picos de agitação), passando por experimentos que testam cogumelos psicodélicos no tratamento de depressão e ansiedade (como os da Universidade Johns Hopkins), até o aclamado documentário Fantastic Fungi.

Além disso, a pandemia de covid-19 fez com que muitas pessoas quisessem voltar a cultivar seus próprios alimentos. Cogumelos crescem a partir da madeira apodrecida e quase não precisam de luz ou de atenção continuada. Mas eles exigem uma quantidade certa de umidade – a maioria dos especialistas recomenda 70% ou mais – e esse nível é mais alto do que o encontrado na maioria das casas, até porque tamanha umidade também estimula o crescimento de fungos indesejados!

Lidar com esse tipo de tendência já se tornou o feijão com arroz da FirstBuild. Enquanto a GE é conhecida por fabricar aparelhos convencionais, a startap FirstBuild é seu braço arrojado, encarregado de viabilizar novos produtos cheios de inovações que poderiam se infiltrar no resto das linhas da GE.

A grande história de sucesso desse laboratório de ideias é a Opal Nugget Ice Maker, lançada em 2015. Essa máquina de fazer gelo é especializada no formato de pastilha mastigável, adorado tanto por cadeias de hambúrgueres baratos quanto por bares sofisticados. Mas quem estaria interessado em gastar mais de US$ 400,00 em uma máquina de fazer gelo?”, você vai se perguntar.  Ora, pessoas que antes gastavam US$ 2,7 milhões encomendando gelo (grande parte das encomendas eram fornecidas por trailers, que geralmente não têm uma boa estrutura para fazer gelo de modo itinerante).

“Nós somos aqueles que olham para os nicho que estão sendo mal atendidos”, diz André Zdanow, diretor executivo de FirstBuild e Small Appliances da GE Appliances. “O gelo nesse formato já havia se tornado onipresente, mas ainda não era produzido de uma forma acessível para as massas.”

A FirstBuild tem brincado com novas invenções desde então, e uma delas é Mella. “Estávamos todos em casa no ano passado. . . e uma das coisas que começou a bombar  foi esse fascínio por cogumelos”, diz Zdanow. “Nós percebemos que isso estava acontecendo e, aí, começamos a trabalhar em uma inovação para essa tendência. Essa era a ideia, só precisávamos controlar algumas variáveis ​​- luz, umidade, temperatura, fluxo de ar. Se conseguíssemos dar conta disso, teríamos uma noção do quanto seríamos capazes de construir uma máquina de fazer cogumelos”.

(Crédito: cortesia do autor)

Daí em diante, uma equipe de engenheiros da FirstBuild começou a trabalhar na construção de um protótipo. A versão 1.5 que eu testei é mais polida, mas não está muito longe do protótipo original. A caixa é muito leve, feita de chapas de aço de corte simples. Tecnicamente, é um dispositivo para ser usado sobre uma bancada, mas é grande o suficiente para atravancar o precioso espaço da minha bancada da cozinha. A frente é uma porta de acrílico que você pode abrir e fechar. Dá para ver os parafusos que prendem as partes do dispositivo. Esses são detalhes que denunciam que a FirstBuild realmente fabrica essas máquinas do início ao fim. Não há nenhum plástico elegante moldado por injeção. Nenhuma tela que oriente você através de funções. Parece mesmo uma máquina construída por inventores – algo um pouco mais agradável do que as máquinas de cogumelos caseiros mostradas no Reddit, e nada além disso.

Para usá-la, é preciso encher o reservatório lateral com água, o que mantém os cogumelos úmidos por uma semana. Em seguida, você conecta uma série de fios na caixa de controle na parte traseira do dispositivo. Esse processo leva talvez dois minutos – e lembra mais a montagem de um antigo desktop do que o nosso hábito de ligar uma máquina de café em cápsulas. Enquanto você coloca uma pequena ventoinha (acessório que também lembra os desktops) em uma almofada de água para controlar a umidade, você se pergunta: será que vou me eletrocutar acidentalmente?

Mas eu não me eletrocutei! E, com um zumbido, a Mella ganhou vida. Do topo, uma luz brilhou (não uma luz ultravioleta daquelas usadas para cultivar plantas, mas apenas uma LED para guiar o crescimento dos cogumelos). Dentro, coloquei dois kits de cultivo de cogumelos da North Spore (uma empresa que prestou consultoria no design da Mella). Também coloquei um kit de cogumelos fora da Mella, criando um“grupo de controle”. Eu queria testar como esse kit cresceria sem a máquina, se eu apenas o borrifasse com água duas vezes por dia.

A promessa de Mella é simplesmente uma máquina que você pode montar e deixar quieta, enquanto os cogumelos crescem. E, quase sempre, essa promessa se cumpre.  (O meu modelo ainda não permitia ajustar as configurações, mas a versão das lojas tem um dial para a troca de umidade e para ar fresco). Meu cogumelo juba de leão cresceu rapidamente, dando frutos em cerca de uma semana. Mas o cogumelo-ostra azul dentro da caixa ficou estagnado, e a princípio eu não sabia o porquê.

(Crédito: cortesia do autor)

Após uma inspeção mais cuidadosa, percebi que o ventilador de umidade havia parado de funcionar. O juba de leão havia sido colocado perto o suficiente do reservatório de água (que eu suspeito que ainda estava úmido), mas a ostra azul, colocada na extremidade da máquina, estava seca ao toque. Meu cogumelo-ostra azul fora da máquina ainda não havia crescido.

Quando entrei em contato com a equipe Mella, eles especularam que algo no tabuleiro havia se queimado ou se soltado. Eu mexi em alguns fios na parte de trás e sacrifiquei a luz pelo ventilador. E assim eu entrei de novo no jogo, com uma máquina praticamente funcional.

(Crédito: cortesia do autor)

Eu até agora não fiquei muito impressionado com a engenharia aplicada à Mella, mas preciso admitir: ser capaz de consertar o produto sozinho e tão rapidamente foi animador. Se o seu iPhone para de funcionar, você precisa ir a uma oficina. Se sua geladeira para de funcionar, você tem que ligar para um serviço caro de assistência técnica. Mas no Mella, os componentes principais são simples e acessíveis o suficiente para que qualquer pessoa possa realizar esse trabalho se receber as instruções adequadas.

Um dia depois, aquele ostra-azul que ficou fora da Mella, o do “grupo de controle”, gerou seus primeiros cogumelos. Ou seja: uma simples pulverização manual superou um aparelho de US$ 350,00! Mas os ostra-azuis que estavam dentro da caixa Mella se recuperaram e estão florescendo também. Meu palpite é que os cogumelos ostra-azul dentro do Mella teriam crescido mais rápido se a máquina não tivesse quebrado. Mas eles não teriam crescido mais ou em maior quantidade, o que sugere que a tecnologia empregada não leva necessariamente a resultados melhores nesses termos.

QUASE FAZ SENTIDO

Para os entusiastas dos cogumelos, o Mella pode ser muito divertido. O Reddit está cheio de pessoas que usaram recipientes Tupperware e que montaram barracas de plástico para cultivar seus próprios cogumelos. Para elas, a possibilidade de ter uma caixa simples e mais elegante que faça esse mesmo trabalho faz muito sentido. E certamente essa possibilidade também me encorajou a cultivar os meus.

O problema é que o FirstBuild e a GE simplesmente não dedicaram tempo suficiente para pensar nos possíveis entraves para que este seja, de fato, um ótimo aparelho. Os kits do North Spore, por exemplo, podem custar US$ 20,00 ou mais por colheita de cogumelos. Financeiramente, não faz nenhum sentido, em longo prazo, comprar esses kits e cultivá-los em uma máquina tão cara.

Mas se tivessem instruções e recipientes reutilizáveis ​ projetados especificamente para caber no Mella, as pessoas poderiam cultivar seus próprios cogumelos a partir de nada mais que esporos e serragem, o que tornaria o processo quase gratuito. Como Zdanow afirmou, a North Spore está pensando em como construir produtos complementares ao Mella, que façam exatamente isso.

No geral, fiquei grato pela direção que o Mella sinaliza. É um pequeno passo para a produção automatizada de alimentos (e talvez, de psicodélicos!) em casa, e seus possíveis defeitos podem ser reparados pelo próprio usuário. Mas para que o Mella impulsione uma verdadeira revolução no cultivo caseiro de cogumelos, a GE precisa fazer mais do que cuidar da engenharia perfeita para o cultivo de cogumelos. Ela precisa investir no design dessas máquinas.

SOBRE O AUTOR

Mark Wilson é redator sênior da Fast Company. Escreve sobre design, tecnologia e cultura há quase 15 anos.