POR SHUBHAM AGARWAL

A corrida armamentista 5G está prestes a começar na Índia — e o Google marca presença à frente dessa disputa.  

No mês passado, a empresa anunciou uma parceria com a Reliance Jio, a operadora wireless líder da Índia, para lançar um smartphone “ultra-acessível” no país. Com lançamento previsto para setembro, o chamado JioPhone Next será executado em uma versão otimizada do sistema operacional Android, e promete alavancar uma vasta rede de consumidores indianos para alcançar “milhões de novos usuários que irão experimentar a Internet pela primeira vez”.

Para entender o significado do JioPhone Next, vale a pena observar o que o Google tem feito na Índia. Nos últimos anos, o país passou por uma revolução digital e centenas de milhões de pessoas se conectaram pela primeira vez, à medida que os preços dos smartphones e os dados de celulares continuaram em queda. Hoje, a Índia hospeda quase 700 milhões de usuários de internet — mais do que o dobro dos EUA — e essa trajetória ascendente tende a aumentar, já que metade da população do país ainda não está online.

Com o mercado chinês restrito às empresas ocidentais e repleto de riscos, as Big Techs dos EUA consideram a Índia sua última chance de adquirir um grupo gigante de novos usuários. Para o Google, o projeto levou bastante tempo para ser consolidado no país e integrou a jornada de digitalização da Índia muito antes do atual boom de conectividade.

Há seis anos se dedicando ao “Next Billion Users”, o Google tem trabalhado arduamente para capturar essa próxima onda de usuários da internet,  a maioria de regiões rurais que não falam inglês. As iniciativas cobriram de ponta a ponta a experiência online — da alfabetização digital à oferta de acesso gratuito à rede. O programa “Internet Saathi”, por exemplo, ensinou milhões de mulheres de locais desprivilegiados a navegar na internet e utilizar o sistema Android, já o Google Station forneceu conexão gratuita em mais de 400 estações ferroviárias. Mas a lista continua.

UMA APOSTA DE US$ 10 BILHÕES

No ano passado, o Google ampliou ainda mais seu investimento com um “Fundo de Digitalização da Índia” de US$ 10 bilhões, e metade desse valor foi investido para adquirir cerca de  7% da Reliance Jio. O JioPhone Next é, de muitas maneiras, o ápice desses esforços para o Google.

Prachir Singh, analista sênior de pesquisa da Counterpoint Research, estima que o JioPhone Next tem o potencial de atingir 520 milhões de usuários, incluindo 320 milhões de usuários de feature phones e 150 milhões de pessoas desconectadas que provavelmente ficarão online nos próximos um ou dois anos.

O JioPhone Next é adaptado para aqueles que estão utilizando um smartphone e internet pela primeira vez. Ele vem carregado com os serviços do Google para mercados emergentes, como tradução instantânea em idiomas regionais e uma ferramenta “Ouvir” que pode ler em voz alta qualquer conteúdo na tela, como páginas da web e mensagens de texto.

O modelo Android também se beneficia de uma série de vantagens normalmente reservadas para a linha de telefones Pixel do Google. A câmera vem com a tecnologia HDR, muito útil, já que o hardware não é um dos melhores do Google. Além disso, a empresa afirma que irá lançar regularmente “descartes de recursos” e atualizações de segurança para o JioPhone Next.

Enquanto o Google assume a parte tecnológica subjacente, a Reliance Jio é responsável por direcionar o trânsito de usuários para o JioPhone Next. A operadora conseguiu vender seus telefones em um ritmo surpreendente, oferecendo-os com pouco ou nenhum custo e obtendo lucro por meio dos planos de celular pagos. Em 2018, quando a telecom anunciou um recurso de telefone habilitado para 4G, ele alcançou o topo das tabelas de classificação mundiais em apenas 10 meses. O Google espera ser capaz de replicar esse sucesso com o JioPhone Next.

Singh, analista sênior da Counterpoint, diz que essa nova iniciativa representa mais do que somente vender smartphones. Assim como o Google, a Jio tem um conjunto de serviços de conteúdo para filmes e notícias, e ainda está procurando adicionar rapidamente mais assinantes à sua rede móvel. Como tem acontecido com os telefones convencionais da Jio, o JioPhone Next será fortemente subsidiado. 

Isso representa uma vitória fácil de 60 milhões de usuários para o Google — e uma oportunidade de inscrever todos os novos proprietários de smartphones para seus serviços.

EXPERIÊNCIA LOCAL

A aliança com a Jio tem um significado mais amplo para o Google. Embora o gigante dos mecanismos de busca tenha permanecido nas boas mãos das autoridades locais, cumprindo todas as novas leis, as Big Techs dos EUA recentemente sofreram com a crescente pressão regulatória na Índia, à medida que o governo aperta seu controle sobre a mídia e as redes sociais. A parceria com um conglomerado local, acreditam os especialistas, vai garantir que o Google possa continuar sua marcha sem problemas desnecessários.

Deepa Dhingra, analista da GlobalData, afirma que o apoio e a colaboração locais “podem render retornos significativos para as empresas ocidentais” e é vital para elas se juntarem a empresas nacionais para navegar pela “natureza ferozmente competitiva do mercado de telecomunicações e do regime altamente regulamentado da Índia.”

Além disso, apenas por conta própria, o Google não foi capaz de quebrar o segmento de preços abaixo de US$ 100 na Índia. Duas outras iniciativas de desenvolver dispositivos para mercados emergentes, Android One e Android Go, tiveram dificuldade para decolar.

“Com a Jio, poderia ser diferente”, afirma Singh, graças à “experiência local de empresas indianas” como a Reliance Jio, que historicamente se saiu bem em oferecer produtos personalizados para as necessidades dos consumidores indianos.

Além disso, a parceria com a Jio também está abrindo vários novos caminhos de crescimento para o braço empresarial do Google. Como parte da parceria, a Jio concordou em transferir seus negócios principais de varejo — o maior varejista do país — para a infraestrutura do Google Cloud, um negócio que supostamente renderá ao servidor pelo menos US$ 1 bilhão em receita.

O Google também não está sozinho. Para uma série de gigantes da tecnologia dos EUA, incluindo Facebook, Snap e Qualcomm, a Jio emergiu como o bilhete dourado para a economia digital florescente da Índia. Os próximos proprietários, por exemplo, podem acessar as lentes Snapchat diretamente do aplicativo da câmera. Embora o JioPhone Next seja um dispositivo 4G, as empresas norte-americanas esperam que ele as ajude a garantir um assento na primeira fila enquanto a Índia se prepara para implantar o 5G amplamente.

Dhingra da GlobalData, acredita “que o Google provavelmente desempenhará um papel importante e crucial no desenvolvimento do ecossistema 5G da Índia e na próxima era digital.”