POR TRACY BROWER

Os trabalhos remotos e híbridos vieram para ficar, e esses modelos oferecem muitas vantagens. Mas quando as equipes quase não se reúnem pessoalmente, pode ser difícil criar engajamento e inspirar motivação.

O engajamento das equipes continua sendo fundamental para os negócios, porque se traduz em dedicação, determinação e desempenho. Mas engajar-se também é importante para as pessoas, individualmente. Os desafios referentes à saúde mental aumentaram desde a adoção em massa do trabalho remoto. Nesses últimos anos, foram muitos os relatos de quem se sentiu mais isolado, deprimido e ansioso. Os seres humanos naturalmente anseiam por conexão, e estar entrosado com os colegas de trabalho é uma das principais formas de atender a essa necessidade. 

Os líderes podem evitar que a distância física se torne prejudicial para a sua equipe. Mas, para isso, é preciso manter-se acessível, capacitar os funcionários, fornecer feedback, manter o foco no futuro e criar experiências compartilhadas.

RESPONSABILIDADE DO LÍDER

A primeira forma de entrosamento entre os membros de uma equipe se dá porque todos estão conectados à sua figura como líder. Em um estudo da Oracle feito com quase 5.000 funcionários de vários países, quando os líderes se mostravam mais acessíveis, as pessoas relataram confiar neles e apresentar melhor desempenho. Outra análise científica constatou que comportamentos solícitos por parte dos líderes motivava as equipes. As pessoas sentiam que podiam contar com eles, e que eles estavam prestando atenção a tudo. 

Por isso, converse regularmente com a sua equipe, faça perguntas sobre como as pessoas estão e lhes ofereça apoio. Responda com eficiência aos seus e-mails, mensagens instantâneas ou chamadas telefônicas e faça reuniões individuais regulares – virtuais ou cara a cara -, para que todos saibam que sempre haverá oportunidades para relatar o que está acontecendo e para obter orientações.

LIBERDADE PARA FAZER UM BOM TRABALHO

Você pode entrosar os membros da sua equipe capacitando-os e, em seguida, confiando na capacidade deles de fazer um bom trabalho. Conheça bem os membros da sua equipe para que você possa – tanto quanto possível – alinhar o que eles gostam de fazer com aquilo você está pedindo que façam. Nem sempre haverá uma combinação perfeita, mas, tanto quanto for possível, dê às pessoas responsabilidades que correspondam às suas paixões e interesses.

Além disso, seja claro com cada membro sobre as responsabilidades que eles possuem. Isso feito, permita que eles realizem suas tarefas como preferirem. É claro que você precisa definir algumas barreiras – como, por exemplo, não extrapolar certo orçamento e estabelecer tópicos-chave que exigirão sua contribuição ou tomada de decisão – mas, dentro desses limites, dê liberdade às pessoas. Ao não se aprofundar muito em detalhes irrelevantes sobre como executar as tarefas, você comunicará que valoriza o julgamento dos seus funcionários e lhes dará autonomia para serem criativas e engajadas.

Também é importante envolver os membros da equipe em trabalhos significativos. A ideia de que os vínculos fortes entre colegas de empresa só surgem por meio de atividades sociais não passa de um mito. Na realidade, as pessoas tendem a se unir mais quando unem seus esforços em projetos importantes. Normalmente, isso proporciona situações com forte componente emocional. Um exemplo é a sensação de alívio e de realização que toma conta da equipe quando ela conclui um projeto difícil, depois de ter tido medo de não cumprir o prazo. Ou a preocupação partilhada enquanto todos lutam para resolver um problema. Ou, ainda, a euforia contagiante de quando o esforço coletivo resulta em uma grande vitória. A combinação entre um objetivo claro, o esforço mútuo e a experiência coletiva – com seus altos e os baixos, contribui para criar memórias e para fortalecer o senso de pertencimento. Seja em presença virtual ou física, ao arregaçarem as mangas juntos, os membros da equipe têm a oportunidade de conhecer as habilidades uns dos outros, de aprender juntos. Enfrentar desafios difíceis ou resolver problemas espinhosos cria conexões duradouras entre as pessoas e, por sua vez, tende a mantê-las engajadas e motivadas.

FEEDBACK SIGNIFICATIVO

Oferecer feedback também é uma ótima maneira de engajar os membros da equipe. Esteja ciente do trabalho para o qual cada funcionário está contribuindo e evite discursos padronizados ou vazios. Em vez disso, seja específico sobre o que funcionou bem no desempenho de alguém e demonstre gratidão pelo trabalho bem executado. Se esforce também para observar o que aquele membro da equipe fez que estivesse relacionado às suas habilidades específicas – assim, ele se sentirá valorizado por sua contribuição única.

Além disso, não tenha receio de fornecer feedback crítico. Às vezes, os líderes evitam responsabilizar as pessoas ou dirigir a elas críticas duras, mas a maioria dos funcionários acha importante saber sobre a qualidade do próprio trabalho e aprecia quando um líder presta atenção suficiente para sugerir uma abordagem alternativa ou oferecer sugestões.

Você também pode engajar sua equipe em reflexões sobre o desempenho do grupo – e, é claro, isso também pode ser feito virtualmente. Reservar algum tempo para destacar os esforços do grupo conecta a equipe, melhora o desempenho e entrosa as pessoas. Entender o que deu errado e por que deu errado são passos importantes para fazer diferente da próxima vez. Além disso, quando se mostram vulneráveis e confessam seus erros, os membros da equipe se conectam. Eles aprendem mais uns sobre os outros, aprendem sobre o tipo de ajuda de que os outros estão precisando e aprendem como contribuir de forma mais eficaz.

Agende horários para que os membros da equipe reflitam sobre o seu desempenho com base nas etapas do projeto em andamento, e para que discutam e absorvam as lições aprendidas. Peça às pessoas que no início de uma reunião compartilhem suas expectativas, ou peça a elas que tragam alguma ideia ao final da sessão, para que todos pensem nela durante o intervalo até o próximo encontro. Mesmo interlúdios rápidos reforçam os benefícios da reflexão conjunta e contribuem para relacionamentos de equipe mais profundos, já que as pessoas conseguem ter um panorama dos pensamentos dos outros.

OLHE PARA A FRENTE

Outra forma de engajar as pessoas é fazê-las olharem para o futuro. Embora pouco valorizada, essa também é uma das formas mais poderosas de fomentar a motivação. Individualmente, você pode perguntar a cada funcionário o que eles esperam dos seus próximos anos, e buscar aprender mais sobre seus objetivos de carreira. Depois de ouvi-los, determine como você pode apoiar os esforços deles.

Para a equipe, você pode reservar um tempo para o grupo imaginar o futuro e visualizar um ideal. Se vocês estiverem cara a cara, ótimo. Se o encontro for virtual, você pode usar ferramentas de tecnologia que ajudam a organizar e capturar ideias em grupo. Faça com que a equipe considere os clientes (internos ou externos) e o valor que eles entregam. Estimule que eles imaginem o resultado perfeito com o maior número de detalhes e especificações possível, para que a visão compartilhada seja palpável. Em seguida, peça à equipe que reflita sobre como eles podem chegar lá. Isso concentra a equipe no que está por vir, mas também capacita os membros a considerarem as ações que podem tomar hoje para que o resultado esperado seja o desfecho mais provável.

Além de sessões de visão em longo prazo, você pode criar momentos mais curtos, de foco no futuro próximo. Comece as reuniões perguntando às pessoas sobre quais são as suas expectativas para aquela semana ou para aquele dia. Você pode pedir a eles que compartilhem uma “ideia com foco no futuro” para o curto prazo e outra para o longo prazo. Compartilhar aspirações pode motivar uma equipe e reanimá-la em direção a algo melhor.

EXPERIÊNCIAS COMPARTILHADAS

Outra forma de engajar é abrindo espaço para experiências e memórias compartilhadas. As equipes tendem a se unir mais intensamente durante a realização de tarefas do que em eventos sociais, mas atividades não relacionadas às tarefas diárias também podem ser positivas para as equipes. Fique atento a quantos e quais eventos sociais a equipe valoriza. Para algumas equipes, um happy hour semanal (virtual ou não) pode ser uma ótima medida, mas para outras, menos é mais. Adote uma abordagem estruturada para eventos sociais, a fim de aumentar as chances de que os funcionários conheçam até mesmo aqueles com quem trabalham menos diretamente ou com menos frequência. Dinâmicas de grupo, jogos de perguntas e respostas e outras brincadeiras do tipo podem quebrar o gelo e propiciar oportunidades mais eficazes para que as pessoas estendam sua rede de contatos. 

A distância física pode ser prejudicial ao entrosamento e à eficácia, mas ela não precisa ser uma condenação. Ao construir conscientemente relacionamentos com os membros da sua equipe e ao conectá-los uns aos outros por meio de projetos significativos, você garantirá que eles estejam mais motivados e mais propensos a permanecer na sua organização.

SOBRE A AUTORA

Tracy Brower, PhD, é socióloga com foco em vida profissional, felicidade e realização. Ela trabalha para a Steelcase e é autora de dois livros, The Secrets to Happiness at Work e Bring Work to Life by Bringing Life to Work.