POR JEANCARLOS MOTA 

Por um dia, ficamos sem a selva. E isso nunca deveria acontecer.

Este marcante acontecimento ocorreu no League of Legends, mas – em qualquer outro lugar que seja – a Selva é um dos recursos mais importantes que existem. E foi com esse pensamento que a Mastercard teve a ideia genial que uniu conscientização ambiental, responsabilidade social, o Dia da Amazônia e League of Legends.

Como parte da iniciativa Coalizão Planeta Priceless, a empresa, que também é patrocinadora oficial do CBLOL (Campeonato Brasileiro de League of Legends) e do Worlds 2021 (Mundial do jogo), lançou a iniciativa especial Play for the Jungle. No dia 5 de setembro, a ideia serviu como celebração do Dia da Amazônia, além de apoiar o compromisso firmado pela por sua Coalizão para combater as mudanças climáticas. O evento tinha como estratégia sensibilizar a comunidade de LoL para a necessidade urgente de proteger ecossistemas críticos, como o da Amazônia.

No jogo, a Selva exerce uma função crucial. Além de ser fonte de diversos recursos, como bônus de ataque e mana (poder mágico para execução de habilidades do personagem, aqui chamado de Campeão), ela serve como atalho para ajudar companheiros das três rotas, fazer ataques surpresas aos adversários e chegar mais rapidamente a outros três importantes recursos vindos de três monstros dela – o Arauto, o Dragão e o Barão. Da mesma forma, em um curioso paralelo, nossas selvas e florestas nos servem como fonte de água potável, oxigênio, lar de milhares de espécimes de animais importantíssimos para nosso ecossistema, sem falar se sua importância no combate ao aquecimento global, dentre tantas outras funções cruciais para nossa existência.

Todas as rotas de League of Legends em Summoner’s Rift (Crédito: Riot Games) 

Foi a partir daí que a campanha da Mastercard surgiu como uma partida especial, transmitida no dia 5 de setembro nos canais do CBLOL (YouTube, Twitch e NimoTV) para chamar atenção dos milhões de Invocadores (nome dado aos jogadores de LoL) espalhados pelo país. Durante a partida, 10 influenciadores tiveram que enfrentar um desafio inédito: a Selva do game estava em chamas e era totalmente intransponível. Isso desafiou todo tipo de estratégia conhecida do jogo.

Jungle, ou a Selva do mapa, é um ponto crítico dentro do League of Legends. Portanto, impedir que os jogadores usem esse trecho como parte de sua estratégia é uma forma genuína de provocar a reflexão sobre o que estamos vendo acontecer com o meio ambiente. Proteger as nossas florestas é fundamental para salvar o planeta, e usar o LoL como plataforma de conscientização, em parceria com a Mastercard, é parte da nossa responsabilidade como empresa que mantém um diálogo direto com o público jovem“, disse Carlos Antunes, head de Esports da Riot Games no Brasil.

E você pode ver todo desafio proposto pela Play for the Jungle aqui.

O evento fez com que toda forma de jogar League of Legends fosse repensada. Basicamente, um Invocador ficou sem sentido no mapa, todos os atalhos e facilitadores do título desapareceram em meio às chamas e tamanha mensagem não apenas foi dada no momento, ficou completamente marcada em cada pessoa que conhece o jogo e percebeu o que estava acontecendo. E se ficar sem a Selva do jogo é ruim, não podemos sequer imaginar o pesadelo que é ficar sem as nossas florestas.

O resultado veio praticamente de imediato, junto com toda campanha de conscientização que a Mastercard já vinha fazendo desde o início da pandemia da COVID-19. “Em uma pesquisa recente encomendada pela Mastercard, 85% dos brasileiros pesquisados ​​disseram que passaram a ficar mais conscientes do seu impacto sobre o ambiente, desde o início da pandemia de COVID-19”, revela o site da campanha

Os comentários durante a partida se misturaram entre os que habitualmente veríamos em jogos com influenciadores digitais, que normalmente comentam suas jogadas e momentos divertidos, ao lado de elogios à campanha, à iniciativa e ao quão importante é preservar a nossa selva. Até mesmo Invocadores curiosos de outros países comentaram como gostaram da campanha promovida no Brasil. “Uma ideia incrível e muito bem executada! Saudações europeias! ”, dizia um dos diversos comentários da live.

Campanha de conscientização da Mastercard (Crédito: Riot Games) 

Sarah Buchwitz, vice-presidente de marketing e comunicação da Mastercard Brasil, ainda reafirmou que “a campanha Play for the Jungle convida a comunidade de League of Legends para ouvir, aprender e agir, contribuindo para a restauração de algumas das florestas mais ameaçadas do mundo”.

Definitivamente, ficar sem a Selva mudaria completamente o League of Legends como conhecemos. Como um jogador de LoL, por mais que eu jogue como Suporte, chega a ser desesperador imaginá-la removida do título, sem o apoio do Caçador da minha equipe e de poder fazer as mudanças de rotas que não sejam pela Selva. Isso certamente tornaria o game mais monótono e muito menos estratégico, até previsível demais. Sem o elemento surpresa que o Caçador traz e até mesmo a mera possibilidade de atravessar sua Selva ou a adversária, o LoL que conhecemos e amamos morreria.

Agora imagine quão infinitamente desesperador seria ficar sem as nossas florestas?

Mas ainda há tempo! Ainda há tempo de evitarmos essa tragédia. Ainda há tempo de espalharmos essa ideia. E, com toda certeza, ainda há tempo de plantar uma árvore, ajudar em campanhas de reflorestamento, escolher políticos que tenham responsabilidade ambiental e também de jogar um LoLzinho.

Vamos? Primeiro cuidamos melhor de nosso planeta.

Depois, vejo vocês em Summoner’s Rift.

SOBRE O AUTOR

Jeancarlos Mota é editor-chefe do IGN Brasil, jornalista, tradutor, intérprete, professor e apaixonado por games.