Procurar um emprego pode ser muito estressante, mas, quando você soma uma pandemia nesse mix, é natural ainda mais ansiedade. Se você foi dispensado ou demitido no último ano, pode sentir uma pressão extra para conseguir um trabalho. Mas é importante estabelecer uma rotina de autocuidado em sua busca, afirma Stephanie Heath, coach de carreira dedicada à procura por emprego e ex-recrutadora para startups de tecnologia.

“As pessoas podem estar preocupadas com a falta de trabalho. A forma como sua última experiência profissional terminou também pode fazer com que seu valor seja questionado ou que você não esteja qualificado para determinadas funções. Acrescente todas as notícias sobre Covid e tudo isso gera muita ansiedade.”

Para gerenciar a procura por emprego e a ansiedade, Heath sugere a criação de um plano:

CUMPRA UM CRONOGRAMA

Considere a procura por emprego um trabalho e crie uma rotina em torno das tarefas. “Recomendo reservar cinco dias por semana para o processo. Certifique-se de tirar dois dias de folga para a sua saúde mental.”

Ela recomenda inscrever-se para um número de 5 a 15 cargos por dia, dependendo da função, e estabelecer a meta de fazer com que seu currículo seja visto por até três recrutadores.

“O mercado de trabalho está saturado. Acostume-se com o fato de que você precisa de atividades diárias regradas para checar seu perfil. Saber que você está progredindo pode ajudar com a ansiedade.”

FAÇA EXERCÍCIOS RELAXANTES

Todos os dias, reserve três minutos para fazer exercícios respiratórios e implemente uma prática de meditação pelo menos uma vez por semana, sugere Heath. É especialmente recomendado antes de uma entrevista importante.

Ela também recomenda uma prática chamada “erradicador do ego”, que ajuda a aumentar o estado de alerta. Sentado no chão ou em uma cadeira, levante os braços em um ângulo de 60 graus. Com seus cotovelos retos e ombros para baixo, alcance seus polegares e dobre seus dedos até sua base. Estique as palmas e puxe-as para trás.

“Esse exercício desacelera seu sistema nervoso, o que pode lhe ajudar ficar mais calmo,” diz Heath.

Durante uma entrevista virtual, friccionar sua mão em sua coxa ou apertar uma bola anti-stress podem também ser calmantes. Uma outra técnica é pressionar, com os dedos, a parte da sua mão entre o polegar e o indicador.

LEMBRE-SE DE SEU VALOR

Pode ser fácil sentir-se negativo nesse momento. Heath recomenda escrever notas adesivas para se lembrar de seu valor, incluindo conquistas anteriores. Durante uma entrevista em vídeo, coloque essas notas onde você possa vê-las.

“Os recrutadores não agendam entrevistas com candidatos que acham que não vão contratar”, diz ela. “Os candidatos podem pensar que têm algo a provar, mas os recrutadores já sabem que são qualificados. Saber disso pode ajudar a acalmar seus nervos.”

ACOLHA SUA ANSIEDADE

É natural estar nervoso. Em vez de lutar contra isso, entenda como um sinal de que você se importa e acalme-se, afirma Heath. “Empresas progressistas estão se inclinando a entrevistas de estilo mais coloquial, e parte do trabalho dos recrutadores é acalmar os candidatos. Quando você consegue acalmar um candidato, obtém respostas verdadeiras e autênticas em vez de respostas resistentes ou de fuga.”

Se você estiver divagando, não se preocupe. “Os recrutadores esperam que os candidatos se atrapalhem nas três primeiras perguntas. Está tudo bem. Essas primeiras perguntas são para aquecê-lo. Elas conduzem a um ritmo natural de uma conversa. A melhor dica é ter um pouco de humildade. Todo mundo aprecia uma pessoa que está disposta a ser vulnerável.”

SOBRE A AUTORA

Stephanie Vozza escreve sobre produtividade e carreiras para a Fast Company.