POR STEPHANIE VOZZA

Embora seja grande a empolgação para ingressar em um novo emprego, é preciso, antes, demitir-se do atual. A melhor maneira de pedir demissão é combinando uma reunião ao vivo ou uma videochamada. Contudo, não negligencie a importância de, além disso, redigir uma carta formal de demissão. 

Pode até parecer uma regra ultrapassada, ainda mais nesses tempos em que métodos informais de comunicação estão por toda parte. Mesmo assim, enviar uma carta de demissão ainda é recomendado, mesmo que já tenha ocorrido um acordo por reunião ou telefonema, segundo aconselha Erica Alioto, chefe global de recursos humanos da Grammarly (verificador de gramática online).

“A carta não serve apenas como documentação formal, ela também ajuda a manter o RH organizado para quando eles precisarem consultar detalhes, tais como qual foi o último dia de trabalho, quais são as ofertas do ex-funcionário para ajudar na transição, além de informações pessoais e de contato”, explica ela. “O RH ​​pode usar a carta de demissão formal como uma referência durante todo o processo de transição, que costuma ser conturbado.”

QUANDO ENVIAR UMA CARTA DE DEMISSÃO

O momento ideal para entregar a carta de demissão é logo depois de conversar com o seu gerente. “Não importa quando será seu último dia de trabalho, os empregadores serão colocados em uma posição defensiva enquanto tentam preencher de novo a vaga”, diz Alioto. “Ajudá-los nesse processo, comunicando-se com empatia e em tempo hábil, é essencial.”

Compartilhe a carta de demissão com o RH, com seus gerentes e com qualquer outra pessoa diretamente envolvida com a transição. Avise sobre a sua partida com o máximo de antecedência que for possível. Isso dará ao seu empregador tempo e espaço para respirar e para organizar as próximas etapas.

E-MAIL X CARTA ESCRITA

As cartas de demissão podem ser enviadas por e-mail, ou então impressas e entregues aos seus gestores e ao RH, afirma Alioto.

“Como muitas pessoas agora trabalham ou estão trabalhando remotamente, um e-mail provavelmente é a maneira mais rápida e confiável de entregar a carta”, ela diz. “Uma vantagem de entregar essa carta em mãos é a certeza de que ela foi recebida no prazo, em vez de potencialmente ter ficado perdida na caixa de entrada do destinatário.”

Mas nunca pule a reunião ou telefonema e confie apenas na carta. “Independentemente do meio escolhido anteriormente, é importante que a carta não seja seu único meio de comunicação com os empregadores”, afirma Alioto. “Seu pedido de demissão pode ser facilmente esquecido se não for combinado por meio de uma comunicação mais pessoal.”

O QUE DIZER NA CARTA

Ao escrever sua carta, mantenha o foco. Não ultrapasse uma página e inclua apenas informações essenciais. Use uma saudação formal e direcionada, como “Prezado [nome do destinatário]”, em vez de algo informal, como “Oi”, ou muito impessoal, como “A quem possa interessar”.

A primeira frase deve explicar sua intenção de deixar o cargo. Use uma linguagem simples e direta e forneça uma data de partida exata, para que a empresa possa se planejar de acordo com ela. Lembre-se de que qualquer documento escrito é uma representação sua e poderá ser mantido em um arquivo para que outras pessoas vejam. Além de adotar um tom profissional, reserve um tempo para verificar se a redação está livre de erros ortográficos e gramaticais.

No corpo da carta, Alioto sugere que você se ofereça para cooperar durante a transição. Também é considerado cortês agradecer à empresa pela oportunidade de ter trabalhado por lá — a menos que o motivo da sua saída esteja relacionado ao fato de que aquele era um local de trabalho hostil. Nesse caso, manifestar gratidão pode soar inautêntico. 

O tom subjacente deve ser sempre profissional. “Não encare a carta de demissão como uma oportunidade para desabafar e reclamar sem compromisso”, diz Alioto. “Ao invés disso, mantenha a mensagem elegante e formal, adotando um tom empático o tempo todo.”

Em seguida, finalize a carta com informações de contato pessoal e com uma despedida mais formal, como “Atenciosamente”. Em uma carta, suas informações de contato são inscritas abaixo de seu nome, no canto superior esquerdo. Já em um e-mail, podem estar parte inferior, abaixo da sua assinatura.

“Pedir demissão pode ser difícil, especialmente na hora de dar a notícia a gerentes e colegas de equipe que muitas vezes se tornaram mentores e colegas pessoais”, diz Alioto. “Uma carta formal de demissão é uma parte importante desse processo, porque apresenta claramente todos os detalhes factuais durante um momento em que as emoções podem estar à flor da pele.”

SOBRE A AUTORA

Stephanie Vozza escreve sobre produtividade e carreiras na Fast Company.